Câncer colorretal - Dieta vegetariana pode ajudar a prevenir

www.aliadosdasaude.com.br
Pesquisas indicam que dieta vegetariana, combinada ao consumo de peixes, pode ajudar a prevenir o câncer 

Estudo aponta que quem se alimenta de verduras, mas inclui também peixes na dieta, tem risco reduzido de desenvolver o câncer colorretal

O câncer colorretal é um dos mais incidentes no mundo, sendo o terceiro mais frequente entre os homens (atrás apenas do câncer de próstata e de pulmão) e o segundo mais frequente em mulheres (perde apenas para o de mama).

O câncer colorretal abrange tumores malignos que acometem um segmento do intestino grosso e reto.
A incidência dessa doença pode ser influenciada por fatores externos, como tabagismo, obesidade, sedentarismo, alimentação e excesso de bebida alcoólica.


Um estudo recém-publicado no respeitado periódico JAMA Internal Medicine acompanhou 77 659 indivíduos ao longo de mais de sete anos a fim de avaliar a relação entre vários modelos de dietas vegetarianas e a incidência de câncer colorretal. Os resultados engrossam o time de pesquisas que já haviam apontado para os benefícios do vegetarianismo na prevenção do câncer de cólon.

Embora pesquisas anteriores já tenham associado o elevado consumo de carnes vermelhas, especialmente de carnes processadas, com o aumento no risco de câncer colorretal e a ingestão adequada de fibras a uma proteção contra a doença, a nova publicação traz um novo dado.

Dentre os vegetarianos, há um grupo que tira uma grande vantagem com relação ao risco do câncer: os pesco-vegetarianos (aqueles que se permitem comer carne de peixe).

Enquanto os vegetarianos que não consumiam carne apresentaram uma redução de 22% no risco da doença quando comparados aos não vegetarianos, aqueles que consumiam peixe ao menos uma vez por mês apresentaram um risco 43% menor, uma grande vantagem sobre os que não consumiam peixe.

Resta saber se foi, de fato, o consumo de peixe que protegeu mais esse grupo ou se há outras variáveis influenciando o resultado e que ainda não foram analisadas.

De acordo com os autores do estudo, se a associação com o consumo de peixe não for causal, abre-se mais uma porta para se armar na prevenção da doença, além de aumentar o consumo de fibras e reduzir as carnes vermelhas e processadas. Enquanto isso, vale uma reflexão para os vegetarianos que excluíram o peixe do cardápio em favor da saúde.


Topo