Cranberry - Você deve ter ouvido falar, mais conheçe os benefícios





Frutinha vermelha muito comum nos Estados Unidos, a cranberry vem fazendo muito sucesso também no Brasil. Por aqui, ela é chamada de oxicoco, e pode ser encontrada tanto em forma de suco industrializado, nos supermercados, como in natura, em algumas lojas de produtos naturais, e também desidratada.

Rica em propriedades funcionais, a fruta possui efeitos terapêuticos e é muito indicada no tratamento de infecção urinária.
"Estudos comprovam que ela apresenta compostos muito eficientes para prevenir contra a infecção urinária, que inibem a aderência das bactérias nas vias urinárias", explica o nutrólogo Maximo Asinelli.
De acordo com ele, todas as mulheres devem consumir um copo da bebida pela manhã para evitar o aparecimento do problema, que é mais comum entre o sexo feminino. "Para as que já sofrem com problemas recorrentes do trato urinário, o melhor é bebam de dois a três copos todos os dias", recomenda.


Compre os produtos da IntegralMedica na Natue!

Pouco calórica quando consumida sem açúcar, a cranberry é capaz de produzir a sensação de saciedade, contribuindo para o emagrecimento saudável. Além disso, a fruta é riquíssima em antioxidantes, que previnem contra doenças e retardam o envelhecimento.

 Previne e trata as infecções do trato urinário
 Pouco calórica, ajuda a emagrecer e ainda acelera o metabolismo
 Produz saciedade
 Previne contra inúmeras doenças, como o câncer, pressão alta e AVC
 Retarda o envelhecimento celular
 Fonte de vitaminas A, C e K
 Fonte de polifenóis como o resveratrol, que protegem o coração
 Reduze o nível de colesterol no sangue
 Previne a gastrite e úlcera, já que impede a fixação de certas bactérias na mucosa estomacal
 Previne a placa bacteriana


aliadosdasaude.com.br

Integrante do grupo das berries (blueberry, raspberry, golden berry, strawberry, goji berry, cranberry, cherry e blackberry que, aqui no Brasil, são conhecidas como mirtilo, framboesa, morango, goji berry, oxicoco, cereja e amora, respectivamente), a cranberry é cheia de benefícios e nutrientes!

Quais os benefícios da cranberry?

Essa fruta já mostrou ser muito eficaz no tratamento e prevenção de doenças do trato urinário como cistite, infecções de urina e incontinência urinária, além de ser utilizada por pacientes com bexiga neurogênica. Isso porque essa fruta é rica em proantocianidina, uma substância que é, em média, 20 vezes mais potente do que a vitamina E para inibir a aderência de bactérias (em especial a do tipo E.coli) na mucosa da bexiga, combatendo e prevenindo contra infecções. Além disso, a cranberry é fonte de antioxidantes. Os antioxidantes são substâncias que neutralizam os efeitos dos radicais livres no nosso organismo e auxiliam, assim, na prevenção de doenças como o câncer, por exemplo.

Quais os principais nutrientes da cranberry?

Essa fruta é cheia de nutrientes! Confira os principais:

  • Vitamina A
  • Vitamina C
  • Vitamina E
  • Vitamina K
  • Potássio
  • Fósforo
  • Magnésio
  • Cálcio
  • Fibras
  • Substâncias antioxidantes
  • Além disso, a cranberry é uma fruta diurética!

Como consumir cranberry?

Podemos consumi-la das seguintes formas: cranberry em cápsulas, suco de cranberry, fruta fresca e fruta seca.

Onde encontrar cranberry?

Aqui no Brasil ainda não vemos com frequência a frutinha sendo vendida em mercados e feiras. Entretanto, seu suco já é mais comum nas prateleiras. Já a cranberry em cápsulas, uma opção bastante interessante para quem consome a fruta com o objetivo de tratar doenças urinárias, você pode encontrar na Natue – e de várias marcas!

Além de todos esses benefícios, essa super fruta ainda pode ser usada em receitas e como calda de doces! Então que tal inclui-la na sua dieta?

Fontes: Natue / Vix


Dieta Saudável - Experimente esta vitamina de banana com espinafre

aliadosdasaude.com.br
Quer emagrecer - Experimente esta vitamina de banana com espinafre e linhaça

Bananas são consideradas como superalimento porque elas são permitidas até mesmo nas dietas mais restritas.

Elas são ricas em potássio, que ajudam a eliminar as toxinas do corpo. Além disso, quando as bananas são combinadas com linhaça e espinafre, elas ajudam a impulsionar o metabolismo e a perder peso.

Faça o seu intestino atuar a seu favor! Experimente esta bebida de banana, é muito simples de preparar e é muito acessível. Você vai ver a diferença em apenas alguns dias.


Você também pode ter uma cintura fina. Tente esta bebida fantástica de banana.



Ingredientes necessários:

1 banana
1 laranja
½ copo de iogurte desnatado
1 colher de sopa de óleo de coco
¼ colher de sopa de pó de gengibre
espinafre 1/2 xícara
2 colheres de sopa de sementes de linhaça
2 colheres de sopa de leite desnatado

Como preparar a bebida:

Misturar todos os ingredientes num misturador. Substituir uma refeição com esta bebida. Consumi-la na parte da manhã, é uma excelente escolha para um café da manhã saudável, e também depois de um treino duro na academia.

Experimente também usar a casca da banana, veja como aqui!

Experimente e veja a diferença no seu corpo!



Melancia - Conheça benefícios do consumo da casca da melancia

aliadosdasaude.com.br
Melancia - Conheça benefícios do consumo da casca da  melancia 

Quem não gosta de melancia? Sinceramente devem ser poucas pessoas. Eu mesmo não conheço nenhuma!

Contudo existe quase uma receita prescrita para o consumo: Corta-se a melancia e consome-se o miolo, in natura ou em sucos do seu interior (a parte vermelha da fruta!).

A casca e a parte branca vão para o lixo, ou para comida dos animais, como alimento para porcos por exemplo, pelo menos aqui na minha região...


Mais agora aprenda uma dica de grande valor: Está desperdiçando uma das melhores aplicações da melancia - Isto mesmo, sua casca!

A parte branca, que faz parte da casca, e a própria casca são as partes mais medicinais da melancia. Isto porque a maioria dos nutrientes dessa fruta encontra-se na casca.

A casca da melancia, só para ter uma ideia, é rica em vitamina A, C, B6, zinco, potássio e magnésio.

Também pode ser encontrada uma boa quantidade de licopeno na casca. O licopeno é um poderoso antioxidante que pode proteger o nosso corpo contra diversas doenças, entre elas o câncer de próstata.

E a parte branca da melancia, que faz parte da casca, melhora a circulação do sangue, aumentando, entre outras coisas, o desempenho sexual.

Além disso, é diurética, ajudando bastante a quem quer emagrecer.


Compre os produtos da IntegralMedica na Natue!

Aqui estão alguns motivos para consumir toda a casca da melancia (a parte branca e a verde):

➤ Reforça os benefícios do treinamento físico com pesos,  Pode misturar a casca de melancia com peito de frango e consumir depois do treino.

➤ Os altos níveis de citrulina, um aminoácido muito importante para os músculos especialmente depois do exercício físico, fazem com que o exercício seja mais proveitoso.

➤ A ação da citrulina não se resume à ampliação dos benefícios do treino físico.

➤ Ela também eleva a libido e melhora a performance sexual. Desta forma, se está precisando de um bom afrodisíaco, a casca da melancia é uma ótima escolha.

➤ Promove a perda de peso saudável

A casca da melancia é rica em fibras. Isto significa que, se consumir a casca, ajudará o seu intestino a eliminar as toxinas, o que favorecerá a perda de peso.

E também, por ela aumentar a sensação de saciedade, terá menos fome e, por isso, comerá menos.

Regula a pressão arterial. Devido à capacidade de eliminar o excesso de água do organismo, a casca de melancia ajuda a normalizar a pressão arterial.

Melhora o sistema urinário. A casca de melancia desintoxica todo o trato urinário.

Como consequência, ela ajuda a prevenir infecções e a manter o sistema urinário saudável.

Alimentos Saudáveis é só na Natue!

Receita de suco de melancia com a casca

Ingredientes:

2 fatias de melancia bem geladas, com a casca;

Meio copo de água

Modo de preparação:

Pique as fatias.

Coloque a água no liquidificador e adicione os pedaços de melancia picados aos poucos, enquanto bate. Gosto de adoçar com uma colher de sobremesa de mel.

Uma ótima dica e adicionar oura fruta, eu gosto de maracujá ou abacaxi (ou ambos).

Deixe bater bem.

Pode coar o suco numa peneira ou simplesmente não coar, é opcional.

Se sobrar suco, guarde-o na geladeira, mais tome no mesmo dia.

É importante higienizar bem a casca, especialmente se ela não for orgânica.




Diabetes tipo-2 - Mais algumas dicas de alimentos para tratar a doença

aliadosdasaude.com.br
Diabetes tipo-2 - Mais algumas dicas de alimentos para tratar a doença

A diabetes tipo 2 representa cerca de 90% dos casos de diabetes e, por isso, a dieta desempenha um papel fundamental nas pessoas que padecem da doença.

A alimentação pode ser a principal fonte para permitir o aporte nutricional necessário ao controle da glicose e da taxa de gordura no sangue, além de promover a manutenção de um peso saudável e prevenir doenças cardiovasculares.

Mais, além do básico da alimentação e da prática de atividade física regular, inclua mais estes seis alimentos na sua dieta para garantir uma complementação na sua dieta.

Abacate
O abacate, fortemente antioxidante, é uma fruta rica em gorduras monoinsaturadas, com impacto real sobre a diminuição de lipídios no sangue. A sua ingestão regular ajuda a evitar o risco de doenças cardiovasculares, que é duas a três vezes maior numa pessoa diabética

Salmão
Excelente fonte de ômega-3, o salmão é um peixe gordo. O seu impacto sobre a redução do risco de doença cardiovascular tem sido demonstrado por muitos estudos. Este alimento ajuda a reduzir a pressão arterial e os triglicéridos do sangue. É, também, uma excelente fonte de proteína completa propícia à melhoria da sensibilidade à insulina

Cevada
A cevada é um grão muito nutritivo, rico em fibras solúveis e vitamina E. Este cereal é um antioxidante que ajuda a combater os danos causados pelos radicais livres. A vitamina E promove a prevenção do risco de doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer. A cevada tem, ainda, um índice glicêmico baixo, igual ou inferior a 55. Além de reduzir o açúcar no sangue, promove um melhor controle metabólico e um menor nível de gordura.

Brócolis
Legume da família das crucíferas, os brócolis crus ou levemente cozidos contêm muita vitamina C, além de propriedades preventivas em alguns tipos de câncer. Contêm, também, luteína e zeaxantina, com propriedades antioxidantes que combatem, ainda, doenças cardiovasculares

Batata-doce
A batata-doce é rica em antioxidantes, incluindo antocianinas e carotenoides. Além de possuir um sabor requintado, é particularmente rica em antocianinas. A variedade de pele branca diminui a resistência à insulina, o que favorece o controle de açúcar no sangue

Fonte: Revista Prevenir


Vitaminas - As 6 vitaminas essenciais a nossa saúde


 Vitaminas - As 6 vitaminas essenciais a nossa saúde
  Vitaminas que você não pode deixar de consumir, são essenciais a nossa saúde!

Vitaminas são micronutrientes importantes no processo de metabolismo de carboidratos, lipídios e proteínas. As vitaminas são a base da nossa saúde!

Embora as vitaminas sejam substâncias essenciais ao organismo, a maioria dos animais não consegue produzi-las em quantidade suficiente, ou não as produz. Por esse motivo, a ingestão de alimentos que as contenham é necessária.

No ser humano, a quantidade a ser ingerida pode variar conforme idade, sexo, estado de saúde e atividade física do indivíduo. As doses devem ser aumentadas em gestantes e lactantes, em indivíduos em crescimento ou com saúde debilitada, e mesmo trabalhadores em funções que exijam muito esforço físico. Mas, é um engano pensar que os alimentos podem ser trocados pelas vitaminas: sem a ingestão da comida, o organismo simplesmente não consegue absorvê-las.



As vitaminas são classificadas conforme substâncias que as dissolvem. São lipossolúveis, solúveis em gorduras, as vitaminas A, D, K, armazenadas no fígado, e a vitamina E, que é distribuída para todos os tecidos de gordura no corpo. As substâncias lipossolúveis não são facilmente excretadas pelo organismo e tendem a se acumular provocando intoxicação se ingeridas em excesso.

Outro grupo é o das hidrossolúveis, ou solúveis em água, como as vitaminas C e as do complexo B (1, 2, 3, 5, 6, 8 e 9), que permanecem no corpo por um pequeno período de tempo antes de serem excretadas pelos rins e, por essa razão, devem ser ingeridas diariamente. A B12 também é hidrossolúvel, mas permanece armazenada no fígado.

As 6 vitaminas essenciais a nossa saúde



VITAMINA A
A vitamina A está é nossa fonte de cheia de antioxidantes. Ela tem o papel importante para a visão, o crescimento dos ossos, a saúde da pele e ela pode lhe ajudar a lutar contra as infecções. Você vai encontrá-la principalmente nos miúdos (fígado de galinha por exemplo), mas também nos produtos de laticínio integrais, nos legumes e frutas amarelas ou laranjas, nos tomates, nos ovos ou ainda nos vegetais de folhas verdes (couve, espinafre, etc.)

VITAMINA B
O complexo de vitamina B se desdobra em 8: B1, B2, B3, B5, B6, B8, B9 e B12. As principais fontes de vitaminas B se encontram na levedura de cerveja, germe de trigo, peixes e frutos do mar, miúdos, laticínios, legumes verdes ou secos ou ainda os cerais integrais. Ela tem papel importante no metabolismo das células, para a saúde da pele e músculos, para o sistema imunológico e nervos. Elas podem lhe ajudar a lutar contra a fadiga e o stress e certas doenças cardiovasculares.

VITAMINA C
A vitamina C é certamente aquela que conhecemos melhor. Ela dá um impulso forte em nosso sistema imunológico e contribui na luta contra as infecções sazonais e os momentos de grande fadiga. Ela é encontrada nos legumes frescos (principalmente os verdes) e nas frutas cítricas, Kiwis, laranjas, morangos, etc. A boa ideia, preparar um smoothie à base de cítricos e kiwi. Podemos acrescentar a banana se tivermos falta de potássio e magnésio.

VITAMINA D
Ela é essencial para absorção do cálcio e do fósforo e tem um papel importante para os ossos e os dentes e também nas defesas imunitárias. Os raios de sol permitem sintetizá-la no nível da pele (cuidado, no entanto, para não abusar do sol). O campeão em teor de vitamina D é o óleo de fígado de bacalhau. É verdade que isto não é muito tentador... Você pode consumir em capsulas ou também optar por uma salada de arenque defumado.

VITAMINA E
Ela é muito cotada por ser antioxidante e desempenha um papel importante para os glóbulos vermelhos e brancos, células do sistema imunitário. Ela tem também propriedades anti-inflamatórias que desempenham um papel cardio-protetor. É encontrada principalmente nas amêndoas, avelãs, pinhões, frutos secos, etc. Porque não começar bem o dia com uma granola caseira?

VITAMINA K
Pouco conhecida, ela tem, no entanto, papel importante na coagulação do sangue e na fixação do cálcio. Ela é, portanto, uma grande aliada na prevenção da osteoporose. É encontrada no tomilho, salsa fresca, manjericão e também em muitos legumes verdes, algas, fígado e ovos.



Levedura de Cerveja - Você sabia que a levedura é considerada um super-alimento

blog aliadosdasaude.com.br



Compre os produtos da IntegralMedica na Natue!

A levedura de cerveja, na minha época, era considerada a cura para as espinhas. Hoje é considerada um super-alimento!

Hoje em dia, além da utilidade como agente de fermentação, a levedura de cerveja tornou-se também uma referência na alimentação saudável, sendo considerada como um super-alimento como resultado das suas grandes características nutricionais.

Como alimento, encontra-se usualmente sob a forma de pó, flocos, comprimidos ou líquido, e embora possa ser produzida  primariamente para utilização como alimento ou suplemento alimentar, é geralmente extraída após o processo de fermentação da cerveja.

Mais qual a primeira coisa que vem à sua cabeça quando ouve falar de levedo de cerveja? Provavelmente você pensa na própria bebida, é claro. Proveniente da fermentação da cevada, o produto é um fermento inativo, com grande concentração de vitaminas do complexo B e proteínas. Mas afinal, levedo de cerveja, para que serve?


Assim como a carne, o levedo de cerveja também oferece grande quantidade de proteínas, mas com a vantagem de não conter colesterol e gordura. Por isso é recomendado para as pessoas que precisam de proteína, mas têm dietas restritivas, como vegetarianos, por exemplo.

Rico em proteínas, vitaminas e minerais, aminoácidos e fibras, o levedo de cerveja é um excelente repositor de nutrientes, sendo usado como complemento em dietas de emagrecimento.

E os benefícios desse fermento vão mais além. O levedo de cerveja é um grande aliado do sistema imunológico e promove resistência e desintoxicação do organismo. Também deixa a pele mais saudável, ajuda na regulação do intestino,  além de manter a integridade do sistema nervoso, evitando assim o estresse, falta de concentração, o cansaço físico e mental.

O levedo de cerveja também é recomendado para diabéticos, por reduzir os níveis de glicose no sangue graças à grande quantidade de vitamina B e cromos que concentra.

Valor nutricional

O valor nutricional da levedura de cerveja é ímpar na natureza, reunindo uma diversidade e quantidade de nutrientes vitais ao organismo humano e raramente encontrados, em quantidade e proporção, em outros alimentos.

Destaca-se, o seu elevado teor em proteínas de grande valor biológico (mais e 50%), contendo aminoácidos essenciais como a alanina, arginina, ácido aspártico, leucina, lisina, isoleucina e treonina, vitaminas do complexo B (tiamina, niacina, riboflavina, ácido fólico e ácido pantoténico), colina, inositol, ácidos nucleicos (DNA, ácido desoxirribonucleico, e RNA, ácido ribonucleico), minerais e oligoelementos, como magnésio, potássio, ferro, selênio, fósforo e cromo.

 Alimentação Saudável - Adquira aqui


Benefícios e aplicações na saúde

A composição da levedura de cerveja confere-lhe benefícios ímpares, sendo indicada como complemento de uma dieta saudável, com particular efeito sobre:

Pele, cabelo e unhas:
Principalmente pelo elevado teor de vitaminas do complexo B, é uma referencia na saúde da pele, cabelo e unhas, em indivíduos saudáveis e auxiliando também em distúrbios clínicos como o acne, eczema, alopécia e psoríase.

Sistema imunológico:
Contribui para o fortalecimento das defesas orgânicas naturais, sobretudo por ação dos ácidos nucleicos DNA e RNA presentes.

Sistema nervoso:
Previne ou auxilia no tratamento do estresse, fadiga e cansaço extremos e, devido o teor em colina, inositol e ácidos nucleicos, ajuda a melhorar o funcionamento cerebral, quer ao nível da memória, quer ao nível do combate ao envelhecimento precoce e ao desenvolvimento de doenças neuro-degenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

Metabolismo energético e esportes:
Aumenta os níveis de energia, vitalidade e concentração, devido à sua abundância e diversidade nutritiva. Por este motivo, é um suplemento alimentar de excelência na alimentação diária de praticantes regulares de atividades físicas.

Diabetes:
A presença de cromo e o baixo teor de carboidratos e açúcares parece ajudar a controlar a glicemia (açúcar no sangue); de referir que o cromo é um dos compostos com mais provas dadas no controle
da glicemia, devido ao seu efeito na insulina, com vantagem não só no controle da diabetes, como em regimes de emagrecimento, tendo grande efeito no controle do apetite.

Colesterol:
Vários estudos recentes apontam a vantagem da toma de levedura de cerveja combinada com lecitina na redução natural dos níveis de colesterol total.

Emagrecimento:
Além do cromo, que auxilia no controle do apetite, a levedura de cerveja pode fazer a diferença na perda de peso, sendo cada vez mais recomendada por nutricionistas para adicionar a vitaminas, resultando na saciedade e redução do apetite, prevenindo ainda eventuais carências nutricionais comuns nas restrições alimentares.

Complemento de dietas especiais:
Além do  já referido elevado valor nutricional, a levedura de cerveja é um alimento saudável recomendado diariamente na dieta de qualquer pessoa, particularmente importante para nutrir e prevenir carências em dietas especiais, como no caso de vegans,  atletas, crianças em fase de crescimento, idosos, grávidas e doentes em fase de convalescença.

Dicas de consumo
A levedura de cerveja pode ser tomada de forma pratica na forma de suplemento alimentar (cápsulas ou liquido) ou em pó ou flocos, adicionada a iogurtes, batidos, sucos de fruta, molhos ou sopas, contudo, deve ser tido em conta o fato de que a levedura de cerveja não deve ser cozinhada, pois as altas temperaturas rapidamente deteriorariam as suas propriedades nutricionais.

Compre os produtos da IntegralMedica na Natue!


Emagrecer - Corte calorias e não gorduras - Este é o segredo para emagrecer


Emagrecer - Corte calorias e não gorduras - Este é o segredo para emagrecer

Emagrecer - Estudos realizados pela Escola de Medicina de Harvard concluíram que cortar calorias é melhor que cortar gorduras no longo prazo!

Reduzir a quantidade de gordura na alimentação parece ser a dieta óbvia para quem deseja emagrecer, mas um estudo publicado na revista médica "The Lancet" mostra que não é bem assim.

Não há provas contundentes que sustentem as dietas de redução de gordura, afirma a autora do estudo, Deirdre Tobias, da Escola de Medicina da Harvard University.

Observem na arte exibida acima, publicada pelo Hospital Albert Einstein, sobre o efeito do corte no consumo de calorias e seu efeito na redução de gordura corporal.

Segundo a nutricionista, "por trás da habitual recomendação de reduzir as gorduras - que contêm o dobro de calorias por grama em relação a carboidratos ou a proteínas -, está a crença de que basta reduzir a ingestão de gordura para reduzir o peso naturalmente".

Uma análise detalhada de 53 pesquisas sobre 68 mil casos de adultos - comparando dietas magras com as outras, entre elas a ausência de dieta - demonstra claramente o contrário, quando o objetivo é a redução de peso a longo prazo, ou seja, superior a um ano. As dietas com redução de gordura se mostraram mais eficazes apenas quando comparadas com a ausência total de dieta.

Segundo Tobias,
"A Ciência não sustenta as dietas reduzidas em gordura como a melhor estratégia de perda de peso a longo prazo".
Para combater eficazmente a epidemia de obesidade precisamos continuar pesquisando para alcançar essa meta de mais longo prazo e mantê-la, incluindo ver além da composição dos alimentos em função dos macronutrientes, ou seja, a proporção de calorias que provêm das gorduras, dos carboidratos, ou das proteínas.

Compre os produtos da IntegralMedica na Natue!

Dessa forma, o que conta não é reduzir a quantidade de calorias geradas pelas gorduras, mas reduzi-las no absoluto, qualquer que seja sua origem.

 A mensagem que retenho desse estudo é que o que determina a perda de peso é a quantidade de energia que se ingere, mais do que a quantidade relativa de gorduras e carboidratos na dieta. Mas é a ingestão total de gorduras e carboidratos que determina a ingestão de energia, comentou o nutricionista Tom Sanders, do King's College, de Londres.

Conclusão:

Para emagrecer. uma caloria é uma caloria, não importa de onde seja obtida. É preciso comer menos quantidade, porções menores e evitar excesso de gordura e açúcar, especialmente em carnes, comidas fritas, pastéis e bebidas açucaradas. Além de fugir do sedentarismo, também não adianta dieta sem a prática de alguma atividade física!


AFP / Zero Hora / Hospital Albert Einstein


Cevada - Motivos para você incluir a cevada na sua dieta

Cevada - Motivos para você incluir a cevada na sua dieta
Cevada ajuda no combate ao câncer, diabetes e controla o colesterol!

Alimentos Saudáveis é só na Natue!

Você é daqueles que só conhecem a cevada como ingrediente da cerveja? Então não sabe o que está perdendo!






Conheça neste post benefícios que o consumo da cevada oferece a sua saúde, dentre eles, no combate a diabetes, controle do colesterol e da hipertensão arterial, além de prevenir o câncer de cólon e ajudar a controlar o peso!


Ela pode até ser pouco famosa na alimentação dos brasileiros. Mas uma certeza nós podemos garantir: a cevada – ou cevadinha, como é conhecida na versão em grãos – é cheia de benefícios para a saúde.


Além de ser um item importante para a produção de energia para o corpo, esse cereal também é rico em vitaminas e minerais. E ainda é mais uma opção para trazer um sabor diferente e saudável para as suas refeições!

As propriedades da cevada são muitas. O grão auxilia no crescimento, no aprendizado, na formação e na manutenção da saúde dos ossos e dentes. Também tem ação antioxidante, o que ajuda no sistema imunológico e na luta contra o envelhecimento precoce. E, para completar a lista de benefícios, ainda fornece a energia necessária para realizar as tarefas do dia a dia.

Se ainda não te convencemos a incluir esse cereal na sua alimentação, confira mais vantagens que o consumo da cevada podem te trazer.

Uma porção de 40 g é capaz de garantir:

44% da necessidade diária de selênio, que é antioxidante, tem ação detox, previne cânceres e ajuda no controle dos hormônios da tireoide.

20% da necessidade diária de magnésio, importante na manutenção da saúde dos ossos, músculos e na regulação da absorção de minerais.

21% da necessidade diária de vitamina B1, auxiliar na manutenção do sistema nervoso e cardiovascular.

22% da necessidade diária de cobre, que estimula o crescimento, o cérebro, aumenta a produção de energia, a imunidade e previne doenças.

33% da necessidade diária de manganês, essencial para garantir a saúde dos ossos, a absorção de cálcio, o bom funcionamento da tireoide e a regulação dos níveis de açúcar.


Este delicioso grão tem uma infinidade de benefícios para a saúde devido ao seu alto teor de fibras. Não surpreende que o grão tenha a maior quantidade de fibras entre todos os cereais integrais.
Uma xícara de cevada cozida tem:

  • 198 calorias, 
  • 1 g de gorduras, 
  • 6 g de fibras (25% da ingestão diária recomendada), 
  • 0,45 g de açúcares e 
  • 4 g de proteínas. 

Mesmo a cevada tendo muitas vitaminas e minerais, os principais benefícios citados a seguir, são devido às fibras:

Ajuda a reduzir a pressão arterial elevada, como a maioria dos alimentos integrais.

Ajuda a baixar o LDL (mau colesterol) e, por sua vez reduz o risco de doenças cardiovasculares.

Regula os movimentos peristálticos e aumenta a saúde intestinal, reduzindo o risco de câncer de cólon e hemorroidas (o teor de selênio também desempenha um grande papel neste efeito).

Tem um baixo Índice Glicêmico e faz você se sentir satisfeito por mais tempo, o que contribui para a perda de peso e ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue em diabéticos.

Ajuda a reduzir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

A cevada é uma excelente fonte de molibdênio, selênio, vitaminas do complexo B (niacina e tiamina), magnésio e muitos outros que dão à ela as propriedades antioxidantes, reduzindo os danos celulares causados ​​pelos radicais livres e proporcionando maior proteção contra doenças cardíacas.

Este grão pode ser usado em diversas receitas, pode-se misturar na farinha para preparar o pão, consumir como cereal, ou adicionar à sua sopa favorita. A Cevada pode ser facilmente adicionada em qualquer plano de alimentação e consumi-la de manhã pode ser uma ótima maneira de começar o seu dia.

Lembre-se: 
CELÍACOS NÃO devem consumir cevada, se você é alérgico ao glúten, esse grão vai ativar sua alergia e pode causar mais complicações em seu corpo.

Fonte: DiabeTV / wikipédia


Diabetes - Conscientização e prevenção - Caminhos para lidar com a doença


Diabetes - Conscientização e prevenção - Caminhos para lidar com a doença
Diabetes - Conscientização e prevenção - Caminhos para lidar com a doença

Hoje, 14 de Novembro, é dedicado em todo o mundo a conscientização e o combate ao diabetes!

O site aliados da saúde sempre dedicou postagens relacionados a diabetes, por saber da importância e relevância da informação para os portadores e familiares dos diabéticos.

O diabetes exige alguns cuidados que são para o resto da vida, tanto para o paciente, quanto para a família. 

Ambos precisam tomar uma série de decisões relacionadas ao tratamento do diabetes: medir a glicemia, tomar medicamentos, exercitar-se regularmente e ajustar os hábitos alimentares.

Além disso, pode ser necessário apoio psicológico. Como as consequências do tratamento são baseadas nas decisões tomadas, é de extrema importância que as pessoas com diabetes recebam educação de qualidade, ajustada às necessidades e fornecidas por profissionais de saúde qualificados.

Sem a educação em diabetes, os pacientes estão menos preparados para tomar decisões baseadas em informação, fazer mudanças de comportamento, lidar com os aspectos psicossociais e, por fim, não estar equipado o suficiente para fazer um bom tratamento. O mau controle resulta em prejuízo para a saúde e em uma grande probabilidade de desenvolver complicações.

O papel dos educadores em diabetes é essencial, juntamente com a equipe multidisciplinar. O educador faz com que a pessoa com diabetes monitore sua saúde com escolhas e ações baseadas em julgamento vindo da informação.

A maioria dos pacientes não tem acesso à educação em diabetes, devido a fatores como custo, distância e falta de serviços apropriados. Algumas nem sabem dos serviços existentes ou não estão convencidas dos benefícios que a educação em diabetes pode trazer. Esses pacientes podem achar, por exemplo, que a interação com o médico fornece toda a educação de que precisam.

A campanha do Dia Mundial do Diabetes visa promover a importância dos programas estruturados de educação em diabetes como a chave para a prevenção e o controle, além de defender mais oportunidades para inserir educação em diabetes junto aos sistemas de cuidados em saúde e às comunidades.

Está faltando educação em diabetes especialmente nos países em desenvolvimento. Mesmo nos países desenvolvidos, muitas pessoas não conseguem ter acesso a ela porque não há educadores e centros em número suficiente para atender o número crescente de novos casos.

Fontes: www.diamundialdodiabetes.org.br/  www.aliadosdasaude.com.br / SBEM



Magnésio - Saiba mais sobre este nutriente essencial ao organismo

aliadosdasaude.com.br


Nutriente essencial ao organismo, o magnésio estimula o crescimento dos ossos, o funcionamento muscular e o metabolismo!

Um dos mais importantes nutrientes minerais, o Magnésio está envolvido em praticamente todo o metabolismo - mais de 300 processos metabólicos, entre eles a conversão de carboidratos, lipídeos (gorduras) e proteínas em energia.

O Magnésio é um mineral essencial para o crescimento e bom desenvolvimento ósseo, é necessário para o funcionamento de algumas enzimas essenciais (todas as que necessitam da vitamina B1), contribui para o equilíbrio do cálcio, potássio e sódio, ajuda ao bom funcionamento celular.

Necessário para a atividade hormonal, participa na síntese das proteínas, ajuda o cálcio a ligar-se ao esmalte dos dentes, essencial para o bom funcionamento muscular e neurológico, necessário para o crescimento e reparação dos tecidos, necessário para a produção de energia, ajuda a regular a temperatura corporal.

Efeitos da carência de magnésio no organismo

Se o nosso organismo estiver com carência de Magnésio, poderão surgir alguns sintomas como por exemplo:

➤ Alterações do ritmo cardíaco (arritmias),
➤ Má circulação sanguínea,
Ansiedade,
Hipertensão,
➤ Irritabilidade,
➤ Espasmos musculares (cãibras),
Depressão,
➤ Flatulência (gases),
➤ Excesso de colesterol,
➤ Tiques faciais,
Cálculos renais,
➤ Apatia,
➤ Convulsões,
➤ Hiperatividade,
Insônia,


Poderão surgir vários sintomas, ou numa fase inicial, apenas um ou dois, sendo os mais frequentes as famosas e dolorosas cãibras, o cansaço, ansiedade, depressão e insônias.

Papel fundamental nas dietas de emagrecimento, o Magnésio atenua os diversos sintomas desagradáveis que acompanham o processo. É um nutriente fundamental na conversão do aminoácido triptofano em serotonina. Conseqüentemente, o Magnésio promove: controle do desejo por doces e carboidratos, diminuição do inchaço e do stress, melhora da disposição física e da performance na prática de esportes, aumentando a sensação de prazer.

O consumo excessivo de açúcar refinado, produtos lácteos e alimentos industrializados tendem a reduzir os níveis de Magnésio no sangue, fazendo-se imprescindível a sua suplementação.

O consumo de Magnésio em dietas brasileiras tem variado entre 120 a 190 mg/dia, sendo considerado baixo, principalmente a partir da adolescência. Com isso, os adolescentes têm sido freqüentemente considerados como um grupo de risco nutricional.

Com o aumento do poder de compra, urbanização e o costume de comer fora de casa, minerais como o Magnésio são consumidos abaixo das necessidades indicadas para esta faixa etária, podendo causar doenças crônicas na fase adulta. Alimentos ricos em Magnésio como nozes, sementes, cereais integrais, tofu e vegetais de folhas verdes escuras raramente são consumidos por adolescentes nesta fase.

"Fica evidente a necessidade de uma intervenção nutricional adequada em relação à ingestão do Magnésio prevenindo o aparecimento da osteopenia e osteoporose, além de hipertensão arterial, na vida futura", explica Elaine Cristina Rocha de Pádua, da Clínica DNA Nutri, e pós-graduanda em Nutrição nas doenças crônico degenerativas no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Particularmente, o Magnésio deve ser mantido em níveis adequados durante a adolescência, visto que é citado como importante coadjuvante no processo de mineralização óssea, pois aproximadamente um terço do Magnésio corporal encontra-se nos ossos, finaliza a nutricionista.

Quais os alimentos mais ricos em Magnésio?

As algas, levedura de cerveja, ágar-ágar, gérmen de trigo, cereais integrais, sementes de linhaça, sementes de sésamo, aveia, milho, chocolate preto, nozes, amêndoas, búzios, mariscos, camarão, figos, tofú, lentilhas, ervilhas, favas, feijão, grão, feijão de soja, acelga, arroz integral, aspargo, pepino, cenoura, couve-flor, salsa, hortelã, beterraba, folhas de beterraba, couve, espinafres, quiabo, ameixas, pêssego, pêra, laranja, banana, uvas, maçã.


Câncer de próstata - 61 mil casos novos anualmente no Brasil

www.aliadosdasaude.com.br
Câncer de próstata, a prevenção pode salvar a sua vida!

Novembro azul - homens pelo menos neste mês, arrumem um tempo para cuidar de sua saúde, faça o exame para prevenção do câncer de próstata!

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), todos os anos, 61 mil novos pacientes são diagnosticados com a doença, que é o segundo câncer mais comum na população masculina, só perdendo para o câncer de pele.


Apesar dos índices, é importante ressaltar que, quando diagnosticado precocemente, as chances de cura ultrapassam 90%.

O oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia André Bacelar lembra que o cuidado e a campanha se justificam na medida que, com o aumento da expectativa de vida e o envelhecimento da população, o câncer de próstata passa a ter um impacto importante.

"É sabido que, aos 80 anos, 80% dos homens terão alteração na próstata”, diz o médico, ressaltando que o papel dos profissionais de saúde é detectar o problema nos indivíduos, identificando aqueles que precisarão de tratamento e os que devem ser acompanhados. No caso específico de Salvador, o oncologista lembra que a ascendência negra termina sendo um reforço para esse cuidado, pois os negros estão mais propensos a desenvolverem a doença.

Herança

De acordo com o chefe do serviço da Cardio Pulmonar e professor da Universidade Federal da Bahia, o urologista Lucas Batista, quando existem casos na família, a vigilância precisa ser ainda mais rigorosa e a prevenção deve começar mais cedo, aos 45 anos.

"Se o pai ou tio tiveram câncer de próstata, a chance de ter a doença é  três vezes maior do que aqueles que não possuem casos na família. Quando é um irmão, as chances aumentam em até quatro vezes, daí a importância das famílias prestarem atenção nesse traço”, reforça o médico.

Lucas Batista  lembra que, quanto mais rápido os casos de câncer forem identificados e tratados, menores serão as sequelas do tratamento ou o risco de desenvolvimento de disfunções sexuais, como os problemas de ereção.
"Quando o câncer está localizado, está em fase inicial e pode ser removido com técnicas minimamente invasivas, conseguimos preservar as terminações nervosas responsáveis pela ereção”, garante o especialista, lembrando que apenas 10% dos pacientes tratados terão incontinência urinária, mas em 60% dos casos, haverá preservação da ereção e da função sexual.  
"Além de contornar dois dos principais receios masculinos, o diagnóstico precoce e as cirurgias – feitas por laparoscopia  ou a robótica – possibilitam que o paciente sinta menos dor e incômodos, use sonda por um tempo  menor e volte à vida normal em um tempo muito menor”, completa Lucas Batista, destacando que, enquanto na cirurgia aberta a recuperação pode durar até um ano, nas minimamente invasivas o paciente se recupera em três  meses.

"Embora a cirurgia robótica seja realizada apenas em São Paulo, a laparoscopia é uma técnica bem comum na Bahia, inclusive pelo Sistema Único de Saúde”, diz o urologista, que também atua no Hospital das Clínicas (Hupes/Ufba).

Como não se pode interferir no envelhecimento nem  na ascendência e hereditariedade, a alternativa para manter a próstata saudável é investir em prevenção. No caso dos homens, vale salientar que as medidas são simples e, além de serem efetivas contra o câncer, também têm um impacto bem positivo na prevenção de outras doenças crônicas como o diabetes, as cardiopatias, entre outras.

O oncologista André Bacelar diz que as medidas protetivas estão voltadas para uma alimentação saudável, baseada em folhas, frutas, verduras e legumes, com pouca gordura animal e o mínimo de produtos industrializados ou muito processados. "Além disso, é fundamental que os homens digam não ao sedentarismo e invistam numa atividade física, além de evitar o tabagismo e a ingesta excessiva do álcool”, completa o oncologista.

Fonte: Correio 24 horas


Proteínas - Conheça os efeitos da falta de proteína no seu corpo

www.aliadosdasaude.com.br
Cansaço físico, queda de cabelo e dores musculares podem ser sintomas de baixo consumo de proteínas!

Você sabe se está consumindo proteínas em quantidades suficientes? Cansaço físico, queda de cabelo e dores musculares podem ser sintomas de baixo consumo de proteínas!

Nossos músculos, cartilagens, ligamentos, pele, cabelo e unhas são compostos basicamente de proteína, por isso, sua deficiência afeta todas essas partes, além da imunidade e digestão.

Você consome proteínas de forma suficiente? O componente, encontrado em alimentos de origem vegetal e animal, é essencial para o bom funcionamento do nosso corpo. Ele também ajuda a perder peso, ganhar massa magra e até afasta o desejo por alimentos calóricos. Por outro lado, sua falta pode causar inúmeros problemas como fadiga, queda de cabelo e até baixa imunidade.

“O mais comum é que as pessoas consumam proteínas em excesso. Mas as dietas muito baixas em calorias ou mal equilibradas podem levar a um déficit proteico”, diz Aisling Pigott, porta-voz da Associação de Nutricionistas do Reino Unido, à BBC Mundo.
Você chega em casa depois do trabalho extremamente cansado, quase se arrastando? A dor nos músculos é constante e não vai embora? Você perde cabelo na mesma velocidade com a qual ganha rugas? Segundo a rede britânica BBC, todos esses sinais podem em relacionados à baixa ingestão de proteínas.

Papel fundamental

Nossos músculos, cartilagens, ligamentos, pele, cabelo e unhas são compostos basicamente de proteína, que, por sua vez, é constituída a partir de cadeias de aminoácidos. Entre as proteínas mais famosas do nosso corpo estão, por exemplo, a hemoglobina, os anticorpos, certos hormônios (como a insulina) e as enzimas. Tudo isso faz com que essas cadeias de aminoácidos (blocos que formam as proteínas) sejam vitais não apenas para o aporte de energia, mas também para a reparação de tecidos, a oxigenação do corpo e o sistema imunológico.

Cada fonte de proteína – do peixe ao amendoim – contém “tipos diferentes” de aminoácidos. Dos 20 diferentes aminoácidos existentes, nove são essenciais para nosso organismo e só podem ser obtidos por meio de alimentos. No que diz respeito às proteínas de origem animal (carnes, ovos, laticínios), quase todas podem ser consideradas boas, pois são constituídas por todos ou a maioria destes aminoácidos.

Para vegetarianos ou veganos, boas opções de proteínas de origem vegetal com aminoácidos essenciais são leguminosas (feijões, lentilha, ervilha), oleaginosas (amendoim, castanhas, amêndoas),  folhas verdes (couve e espinafre) e outros grãos como quinoa e da soja e seu queijo.


Confira abaixo cinco sinais de alerta emitidos pelo corpo caso haja deficiência de proteína.

1. Fadiga

Segundo a rede britânica BBC, a fadiga excessiva ou crônica é o primeiro sinal de falta de proteína. Como a deficiência desse composto é derivada diretamente de uma dieta pobre em calorias, o organismo não dispõe de energia suficiente para cumprir tarefas rotineiras.
"Há um mínimo necessário de proteínas que devemos consumir todos os dias para o corpo funcionar corretamente", diz a nutricionista Elizabeth González, porta-voz das Associação de Nutricionistas de Madri, na Espanha, à BBC Mundo.
A ingestão diária recomendada pelos Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês), ou seja, o consumo mínimo indicado para uma pessoa se manter saudável, é de 0,8 grama de proteína por quilo de peso. Ou seja, para uma pessoa de 60 kg, a quantidade de proteínas recomendada por dia é 48 gramas. "Mas dependendo da atividade física da pessoa ou se ela está em fase de crescimento, a quantidade necessária de proteína pode ser maior", ressalta Aisling. Segundo um estudo publicado recentemente, a duplicação dessa quantidade recomendada diariamente fornece o que os nutricionistas chamam de “nível proteico ideal” e consiste em consumir de 15% a 25% do total de calorias diárias a partir de fontes de proteínas.

Na prática, isso corresponde ao consumo total de 90 g a 105 g de proteína por dia que podem ser divididos da seguinte forma: de 20 g a 30 g de proteína por refeição e de 12 g a 15 g por lanche.

2. Fraqueza de cabelo e pele

O cabelo - e os folículos que os sustentam - são feitos de proteína, por isso, elas são responsáveis por mantê-lo saudável e em crescimento. Por isso, quando há falta dessas moléculas o cabelo enfraquece. Essa é uma das razões pelas quais os cabelos de pessoas que fazem dietas com baixo teor proteico tendem a crescer mais lentamente. E, em casos extremos, pode ocorrer queda dos fios. As unhas e a pele também dependem das proteínas para se regenerar. A pele é composta por três tipos de proteínas: colágeno, elastina e queratina. "Níveis baixos dessas proteínas causam rugas e deixam a pele mais fina", explica em seu site a Clínica Cleveland, nos Estados Unidos.

3. Perda de massa muscular

Um terceiro sintoma da insuficiência de proteína é a redução da massa muscular, dificultando a realização de atividades físicas. Em um nível muito avançado, esses distúrbios musculares podem causar câimbras irritantes. "Esse tipo de proteína que também comemos parece desempenhar um papel central em evitar a perda muscular", diz a nutricionista Jennifer K. Nelson, no site da Clínica Mayo. Isto é muito importante, por exemplo, para pessoas idosas, que tendem a perder massa muscular com o avanço da idade. As proteínas presentes nos alimentos são formadas por vários tipos de aminoácidos. Por exemplo, estudos mostram que a leucina, encontrada principalmente em alimentos de origem animal, como carne bovina, cordeiro, carne de porco, frango, peixe, ovos ou laticínios e, em menor quantidade em alimentos vegetais como soja, nozes e sementes, preserva a massa muscular.

4. Doente com frequência

Uma das principais funções das proteínas é apoiar o sistema imunológico. Sendo assim, uma dieta pobre em proteínas nos deixa mais expostos a infecções e resfriados. Portanto, o quarto alerta sobre a falta de proteínas é a frequência com que ficamos doentes. "É impossível para o sistema imunológico funcionar sem proteínas. Até porque os anticorpos são estruturas formadas por proteínas", explica Elizabeth.

5. Gases e prisão de ventre

Finalmente, a falta de proteínas também está associada a problemas digestivos, como gases e constipação. Os aminoácidos presentes nas proteínas são fundamentais para uma boa digestão. Portanto, seus níveis em nosso corpo são diretamente proporcionais à ingestão de proteínas.

Fonte: BBC / Veja.com



Malhar ou fazer dieta - Afinal o que é melhor para emagrecer

Malhar ou fazer dieta - Afinal o que é melhor para emagrecer
Malhar ou fazer dieta - Afinal o que é melhor para emagrecer

Malhar ou fazer dieta, o que é melhor para emagrecer? Fale sério se você não tem esta dúvida, ou já fez esta pergunta para alguém!

Especialistas põem fim à batalha entre dieta e exercício físico. Descubra agora qual dos dois leva a melhor quando o que se busca é a perda de peso.

Se você não tem certeza se o negócio é malhar ou fechar a boca para afinar mais, siga a sua intuição.


A sugestão tem respaldo científico: uma pesquisa da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, divulgada em janeiro, constatou que quem acredita que a briga com a balança está relacionada à comida vai se dar bem se adotar uma alimentação equilibrada. Já aquelas que desconfiam que o sedentarismo é o principal responsável pelo excesso de peso têm melhor resultado se pegar firme na malhação.

Os especialistas entrevistados nesta reportagem concordam com o estudo e afirmam que conhecer o próprio corpo é o primeiro passo para chegar mais rápido ao peso desejado.

Porém, até mesmo os experts em atividade física reconhecem que, quando o assunto é agilizar o emagrecimento, a dieta leva vantagem. 
"A conta é simples: para se livrar de 1 quilo de gordura corporal é necessário queimar cerca de 7 mil calorias, o que só é conseguido entre 12 e 14 horas de treinamento intenso", calcula o médico do esporte Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), de Salvador.
Em outras palavras, é mais fácil fechar a boca e não ingerir em fração de segundos as cerca de 400 calorias fornecidas por uma fatia fina de pavê de chocolate ou cinco biscoitos recheados do que eliminá-las em 40 minutos de corrida, jump ou spinning.
 "É importante ressaltar que o gasto calórico numa atividade física nem sempre é o mesmo para todo mundo. Dependendo do exercício e do condicionamento físico, uma pessoa que está no peso ideal, por exemplo, pode eliminar até 700 calorias em uma hora enquanto uma obesa ou com sobrepeso pode chegar a 300, pois não consegue manter o ritmo ou executar os movimentos corretamente", avisa o fisiologista do esporte Paulo Zogaib, do departamento de fisiologia do esporte da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
A afirmação é endossada por um levantamento feito pelo Centro Pennington de Pesquisa Biomédica, nos Estados Unidos, publicado em outubro de 2012 no jornal científico Obesity Reviews. Depois de analisar 15 trabalhos científicos que envolviam 657 pessoas, os pesquisadores descobriram: aquelas que não alteraram a dieta, mas correram ou caminharam de três a 64 semanas, apresentaram uma perda de peso inferior ao esperado, em torno de 2 a 3 quilos.


Um mais um é mais que dois

Tudo bem que o placar é a favor da reeducação alimentar, mas os especialistas, inclusive os de nutrição, são unânimes em afirmar que combinar dieta e ginástica é a forma mais saudável de perder peso.

A nutricionista Cinthia Azevedo de Souza, supervisora de nutrição da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, explica o porquê: "Enquanto a comida atende às necessidades energéticas e nutricionais do organismo, os exercícios ativam o metabolismo e favorecem a queima das calorias acumuladas em forma de gordura". Isso sem contar os outros benefícios, como deixar as coxas e o bumbum mais firmes, diminuir os pneuzinhos e a celulite, regular os níveis de glicemia, colesterol, triglicérides e pressão arterial, aumentar o pique e a sensação de bem-estar - que, vamos combinar, é um ingrediente e tanto para que você continue motivada a seguir em frente no seu plano de emagrecimento.

Mas se você ainda não se convenceu de que a melhor saída é apostar na dupla alimentação e ginástica, vamos aos números: para perder 1 quilo por semana apenas com dieta é necessário cortar cerca de mil calorias por dia do cardápio. Agora, se a opção for malhar, vai ter que arranjar um modo de gastar mil calorias a mais por dia. Porém, se aliar as duas coisas, você tem direito a comer um pouco mais e suar um pouco menos. "Além disso, fazer uma reeducação alimentar em detrimento da atividade física ou vice-versa aumenta o risco do benefício ser temporário", adianta o nutrólogo Ricardo Rosenfeld, chefe da equipe de terapia nutricional da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, e vice-presidente da Federação Latino-Americana de Metabolismo e Nutrição (Felanpe).

Fonte: Sportlife / Veja.com


Topo