Atividade física - 10 dicas para correr no calor

Aliados da Saúde
 Dicas para praticar atividades físicas ao ar livre, e se proteger dos efeitos negativos do calor

Com a proximidade da chegada do verão, alguns cuidados devem ser tomados para a prática de atividade física ao ar live, sobretudo a corrida!

Seguem algumas dicas para amenizar o efeito das altas temperaturas e garantir um treino eficiente.

O calor intenso pode ser um grande empecilho no desempenho do corredor. Os ricos de desidratação e desgaste podem desmotivar o atleta e até mesmo causar danos à saúde.


Durante o verão, o cuidado deve ser redobrado para que as altas temperaturas não atrapalhem os treinos. Pequenas atitudes e prevenções já podem fazer a diferença e garantir o bem estar do corredor.

Confira 10 dicas para correr no calor:

1.  Hidrate-se em dobro

Com o calor intenso, beber água constantemente torna-se ainda mais importante. Quem corre no período da manhã deve hidratar-se bem na noite anterior e quem corre ao ar livre deve sempre ter uma garrafinha em mãos. Bebidas esportivas, os famosos isotônicos, também podem contribuir para manter a hidratação durante o treino, principalmente se consumidos uma hora antes da atividade. O ideal é consumir entre meio litro e um litro de água por hora de exercício.

2. Evite horários de pico

O calor entre as 10h e 16h é sempre mais intenso. Prefira correr no início da manhã, no fim da tarde ou durante a noite.

3. Planeje o treino

É sempre melhor prevenir do que remediar. Corra em regiões com acesso à água e, se a corrida for durante o dia, sombras. Nos dias de temperaturas mais altas correr na esteira pode ser a melhor opção.

4. Vista-se para o verão 

Roupas leves e confortáveis são obrigatórias para os corredores durante a época. Peças brancas são ideais, já que ajudam a refletir os raios solares. Evite roupas escuras, já que a cor absorve o calor. Usar bonés, viseiras e óculos escuros também pode contribuir para o conforto. E claro, SEMPRE use protetor solar.


5. Não exagere 

O calor exige mais do seu corpo e pode influenciar diretamente no desempenho. O seu tempo pode não ser o mesmo do inverno e por isso mesmo não se deve exagerar na intensidade do treino. Diminua o ritmo e, se for necessário, alterne a corrida com caminhada.

6. Previna-se

Evite percorrer longas distâncias sozinho e sempre leve sua identificação e avise a alguém onde estará.

7. Alimente-se bem

A alimentação durante o verão deve ser leve. Frutas, verduras e legumes podem auxiliar na hidratação e garantir mais energia ao corredor. Evite alimentos gordurosos e embutidos.

8.  Verifique a umidade do ar

A umidade reduz a capacidade do corpo de se refrescar pelo suor, podendo provocar até mesmo hipertermia. Verifique a previsão do tempo antes dos treinos.

9. Ouça o seu corpo

Ao sinal de qualquer tontura, visão escura, náuseas ou desidratação, pare imediatamente e procure sombras. Respeite os limites do seu corpo e não o leve ao desgaste.

10. Aproveite o verão!

A estação e as temperaturas mais altas podem ser ótimas se aproveitadas com precaução. Percorra distâncias mais curtas, hidrate-se da maneira certa e não fique parado!

Fonte: Academia Sportlife




29 de Outubro: Dia Mundial de Combate ao AVC

aliadosdasaude.com.br


O AVC é uma escassez neurológica provocado por algum problema circulatório no cérebro. 

Há dois tipos: o isquêmico (AVCI), onde há obstrução de uma artéria, impedindo a chegada de oxigênio nos neurônios, e o hemorrágico (AVCH), quando ocorre extravasamento de sangue no interior do cérebro ou das meninges.

A cada ano, 17 milhões de pessoas tem um AVC no mundo, 6,5 milhões morrem e 26 milhões vivem com incapacidade permanente. No Brasil, é a segunda maior causa de morte e a primeira causa de incapacidade física definitiva.
---------------------
Mulheres têm mais chances de ter um AVC

Dados da Organização Mundial de AVC a World Stroke Organization apontam que seis em cada dez mortes por Acidente Vascular Cerebral acontecem com mulheres, devido ao número aumentado de fatores de risco. Ainda segundo dados da organização, uma a cada cinco mulheres pode sofrer um AVC.
“Até os 50 anos as chances que AVC são maiores nos homens, porém, após essa idade, elas igualam ou até aumentam nas mulheres devido as grandes mudanças que o organismo feminino apresenta”, explica o médico.
Segundo o especialista, o uso de pílulas anticoncepcionais (especialmente no caso de mulheres com hipertensão), a reposição hormonal após a menopausa, colesterol, diabetes, além da mudança do estilo de vida da mulher, acabam aumentando os riscos de um AVC.
“O estilo de vida da mulher mudou muito nos últimos anos, o aumento do consumo de bebidas alcoólicas, do tabagismo, do stress, atrelados a todos os outros sintomas, aumentam os riscos da patologia”, comenta.
O AVC na mulher é sempre mais agressivo, podendo deixar sequelas graves. Por isso, estar atenta aos sintomas e ao estilo de vida é fundamental para essa prevenção.

 “Com cuidados básicos e maior atenção conseguimos atenuar os danos causados pelo AVC, ao menor sinal a vítima deve ser levada imediatamente ao hospital, já que os danos são consideravelmente menores se o atendimento for rápido”.

Independente do tipo de acidente que a paciente deve, suas consequências são sempre danosas, já que o AVC é um dos que mais impactam na capacidade de realização de tarefas, até mesmo as mais simples. “O tratamento e a reabilitação dependem das particularidades do caso, já que o Acidente Vascular Cerebral acontece em determinadas intensidades, desde a menor que pode não causar sequelas, as mais graves, que podem impossibilitar a pessoa de sair da cama e até levar a morte”, conta o especialista.

Para finalizar, lembra que muitos são os fatores que contribuem para o Acidente Vascular Cerebral, alguns não podem ser mudados, como a idade. Porém, outros fatores que podem levar ao problema como a hipertensão, a diabetes e a obesidade podem ser diagnosticados tratados.
“Hábitos saudáveis e pratica de atividades físicas, ajudam a prevenir doenças e a diminuir as chances da paciente sofrer um AVC”, completa.
--------------------

Podemos suspeitar que alguém está tendo um AVC quando ocorre:
  • Paralisia do braço
  • Paralisia da face
  • Alteração na forma de falar
  • Alterações súbitas na visão, formigamentos no corpo
O paciente com suspeita de AVC deve ser levado  imediatamente a um serviço de emergência capacitado a atender este tipo de situação. Até 4 horas e meia é possível usar uma medicação que desobstrui o vaso, aumentando as chances de recuperação.

Além do tratamento é fundamental saber que mais de 90% dos casos podem ser prevenidos. O AVC pode ser prevenido através de:
  • Prática de exercícios físicos regulares;
  • Alimentação balanceada, com pouco sal, açúcar e gordura, e rica em vegetais;
  • Controle da pressão arterial;
  • Controle adequado do diabetes;
  • Controle rigoroso dos níveis de colesterol;
  • Se fumante, parar de fumar o quanto antes;
  • Evitando o consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
Pessoas que já tiveram AVC ou com alto risco, podem necessitar de medicamentos para sempre ou mesmo cirurgia, quando há obstrução das carótidas.

Fontes: Cruz Azul São Paulo / Hospital Albert Einstein - Arte: O Dia.Ig


Manga - Benefícios da manga que você nem imaginava



A manga é um verdadeiro presente da natureza para nossa saúde, pois além de deliciosa ajuda a combater várias doenças, confiram!

Esta fruta é um milagre para a saúde! Previne o câncer,  ajuda a controlar diabetes e colesterol, entre muitas outras enfermidades.

Rica nas vitaminas A e C, a fruta possui também as vitaminas B1, B2 e B5, além de ferro, cálcio, fósforo, proteínas e gorduras.


A manga combate bronquite e é depurativa do sangue, favorecendo a diurese. Quando consumida em jejum, também combate acidez e outras enfermidades do estômago.

A manga também contribui para a perda de peso, ajuda a digestão, regula a glicose e melhora a pele e cabelo.

Confiram alguns dos benefícios da manga:

1. Prevenção do câncer
A manga é uma boa fonte de antioxidantes como isoquercitrina, a quercetina, a fisetina, galato de metilo e ácido gálico. É por isso que o consumo diário da manga pode ajudar a prevenir certos tipos de câncer, tais como o de cólon, câncer de mama, próstata e leucemia.

2. Combate ao colesterol alto
Esta fruta é rica em vitamina C, pectina e fibras que ajudam a reduzir os níveis de colesterol.
Também é uma rica fonte de potássio, um componente importante para a frequência cardíaca e o controle da pressão arterial.

3. Saúde da pele
A manga pode ser aplicada diretamente na pele para o tratamento de problemas de acne e para dar maciez e uma boa aparência. Basta aplicar algumas fatias finas de manga no rosto e deixar agir por 10 a 15 minutos. Enxaguar a pele com água depois. Verá como este simples tratamento vai melhorar a pele do rosto, especialmente se tiver acne.

4. Alcaliniza o corpo
A manga é rica em ácido tartárico, ácido málico e ácido cítrico. Todos eles ajudam principalmente a manter a reserva alcalina do corpo.

5. Ajuda nas dietas para emagrecer
A manga é uma boa fruta para queimar calorias, pois contém muitas vitaminas e nutrientes que ajudam a se sentir saciado mais cedo. Além disso, esta fruta impulsiona a função digestiva e o metabolismo do corpo, o que ajuda na perda de peso.

6. Regula o diabetes
Tanto o fruto como as folhas da mangueira (como chá) são bons para reduzir os níveis de açúcar no corpo.


7. É afrodisíaca
Chamada de “fruta do amor” em alguns países, a manga possui propriedades afrodisíacas.
Ela contém vitamina E, que ajuda a regular os hormônios e aumenta o desejo…

8. Previne doenças oculares
A manga contém vitamina A, que é muito importante para a saúde dos olhos.
Ela pode ajudar a promover a boa visão, a combater os olhos secos e evitar a cegueira noturna.

9. Ajuda a digestão
A manga contém enzimas que ajudam a quebrar as proteínas, auxiliando na digestão, além de ser rica em prebióticos, fibras, vitaminas e minerais importantes para a boa digestão.

10. Fortalece o sistema imunológico
A manga ajuda a manter o sistema imunológico saudável, devido à sua composição rica nas vitaminas A e C e em 25 diferentes tipos de carotenoides.

11. Esfoliante natural
A manga, como já dissemos, tem ótimas propriedades para a pele e pode ser utilizada como um esfoliante natural. Para tanto, basta amassar a polpa e misturar com mel e leite. Depois faça uma esfoliação na pele com esta pasta, para mantê-la macia e suave.

12. Melhora a concentração e a memória
Esta fruta é rica em ácido glutâmico, um importante nutriente que ajuda na concentração e na memória.

13. Combate a anemia
A manga é rica em ferro, por isso é uma ótima solução natural para as pessoas que sofrem de anemia.
Para as grávidas e mulheres na menopausa, ela também é muita benéfica porque, além do ferro, contém cálcio.

14. Previne pedras nos rins
A manga pode ajudar a reduzir a formação de pedras nos rins devido ao seu elevado teor de água, além de ser pobre em oxalatos.

15. Boa para o fígado
Esta fruta tem a capacidade de tratar doenças hepáticas pelo fato de aumentar a secreção dos ácidos biliares. Além disso, ela limpa os intestinos e todo o aparelho digestivo devido ao seu rico conteúdo em fibras.

16. Fortalece os ossos
A manga contém vitamina K, que facilita a absorção de cálcio, e isso é muito positivo para manter os ossos saudáveis.

Resumindo, a manga é um dos frutos mais saudáveis que existem, e seu consumo usual pode ajudar a manter nossa saúde em dia. 

Fonte: Muitofixe.PT

Não guarde esta informação só para você, COMPARTILHE com quem você gosta!!!



Alimentação Saudável - Uso de ervas para temperar melhora sua saúde

aliadosdasaude.com.br
 Uso de ervas para temperar pode melhorar sua saúde

Estudos recentes apontam que temperar sua comida com ervas e especiarias induzem a uma alimentação mais saudável

As especiarias reduzem o consumo de sódio, de calorias e de gorduras, ao mesmo tempo que tornam a alimentação mais saudável e gostosa.

Temperos e ervas podem desempenhar um importante papel na melhora da sua saúde, segundo os autores de um conjunto pesquisas publicado neste mês na revista Nutrition Today.


Os estudos foram apresentados em uma conferência realizada pelo McCormick Science Institute, em parceria com a Sociedade Americana de Nutrição, em Washington, durante o mês de maio. Foram reunidos 16 trabalhos que apontam como as ervas e especiarias podem ser aliados da saúde em questões como a saciedade, o metabolismo, a inflamação, a resistência à insulina e a fatores de risco cardiovasculares.

Agora sabemos que as especiarias e ervas têm um papel significativo a desempenhar na melhora da saúde pública por meio de uma alimentação mais saudável e saborosa — disse Johanna Dwyer, uma das pesquisadoras.

Saiba de que forma, segundo os cientistas, as ervas e especiarias podem ajudar na saúde:

1) Induzem a aumentar o consumo de alimentos saudáveis

Segundo James O. Hill, da Universidade de Colorado, adicionar ervas e especiarias aos pratos de baixa gordura (como carnes magras, vegetais e massas) torna esses pratos mais apetitosos. Dados de sua pesquisa indicam que os pratos pouco gordurosos foram classificados como tão saborosos quanto sua versão mais calórica quando continham esses temperos.

2) Ajudam a diminuir o consumo de sódio (Controlam hipertensão)

Especiarias e ervas têm o potencial de dar sabor aos alimentos sem precisar de tanto sal. Uma pesquisa realizada pela Universidade Johns Hopkins comprovou que as pessoas que usam maior variedade de temperos no preparo da comida consomem menos sal. Os participantes que usavam especiarias e ervas consumiam uma média de 966 mg por dia a menos de sódio.

3) Melhoram o metabolismo e a saciedade

Segundo uma pesquisa desenvolvida por Margriet Westerterp-Plantenga, da Universidade de Maastricht, a pimenta vermelha aumenta o gasto energético e a saciedade em adultos. Seu estudo concluiu que a pimenta vermelha pode ajudar as pessoas que estão tentando controlar o seu peso.

4) Reduzem os fatores de risco cardiovascular

De acordo com uma pesquisa da Universidade do Estado da Pensilvânia, adicionar uma mistura de especiarias a uma refeição rica em gordura ajuda a diminuir os índices de insulina e triglicérides em relação a mesma refeição sem os temperos. Segundo a pesquisadora Sheila Oeste, adicionar especiarias a carne de hambúrguer ajuda a proteger da oxidação.

5) Melhoram a sensibilidade à insulina

A canela pode ajudar a melhorar os níveis de glicose no sangue e diminuir a sensibilidade à insulina, reduzindo o risco de diabetes tipo-2, segundo um estudo desenvolvido por Richard Anderson, da Beltsville Human Nutrition Research Center.



Saúde do Intestino - Cuide bem de um dos mais importantes órgaõs do organismo

aliados da saúde
Saúde do Intestino - Cuide bem de um dos mais importantes órgaõs do organismo

Órgão fundamental para o funcionamento de praticamente todo o organismo, o intestino é a porta de entrada dos nutrientes para o corpo. 

O bom funcionamento do intestino consiste em conhecer os fatores de risco e os alimentos mais indicados para mantê-lo saudável, esta é a chave para uma vida com mais qualidade.

Sem dúvida este é um dos órgãos vitais que mais influencia em nossa saúde. Participante do sistema digestório, o intestino de um adulto tem cerca de 250 m2 de área (para se ter uma ideia, este tamanho de área é maior do que uma quadra de tênis!). Tudo isso para que ele exerça da melhor maneira os papéis fundamentais que tem sobre a digestão.


É subdividido em dois tipos, de acordo com suas funções: 

Intestino delgado
Que libera enzimas para digestão e absorve os nutrientes;

Intestino grosso
Que absorve água e outros nutrientes restantes, que não foram absorvidos no delgado, ao mesmo tempo em que forma as fezes (que nada mais são do que uma mistura de água, fibras, restos alimentares, bactérias e toxinas).

Se pensarmos com calma nesse assunto, vamos ver que o papel do intestino vai muito além de uma simples digestão.
Ele é a porta de entrada dos nutrientes que serão distribuídos por todo o organismo. Daí a importância de que ele esteja sempre saudável, e para isso, a alimentação natural e integral é fundamental. 
Conheça melhor os principais fatores que afetam a saúde do intestino: 


Falta de alimentos à base de fibras, como grãos integrais por exemplo: 
Sem eles, não há estímulo suficiente para formação das fezes e nem para a manutenção dos probióticos (bactérias “saudáveis”) do intestino;

Baixo consumo de verduras, legumes e frutas frescas na alimentação: 
Além desses alimentos serem ricos em fibras, a maioria deles contém prebióticos e substâncias bioativas capazes de manter a microbiota equilibrada e a integridade da parede intestinal;

Excesso de alimentos refinados (à base de açúcar e/ou farinha de trigo branca, como pães, bolos e massas refinadas, doces convencionais etc): 
Eles estimulam o crescimento de fungos, leveduras e bactérias maléficas no intestino, causando problemas como intestino preso (que pode trazer doenças como o câncer de cólon);

Excesso de proteínas como as de carnes vermelhas, leite e derivados: 
Em grande quantidade no intestino, eles podem sofrer putrefação e desequilibrar a microbiota intestinal;

Excesso de alimentos gordurosos (frituras, folheados, frango com pele, carnes gordurosas, doces à base de cremes e outros): 
Também afetam a microbiota intestinal;

Bebidas alcoólicas:
Causam inflamação na mucosa do intestino, prejudicando a absorção dos nutrientes e a eliminação de toxinas;

Pouca mastigação:
Faz com que o alimento chegue ao intestino em tamanho muito grande, agredindo assim a parede intestinal. Isso aumenta o risco de má absorção e de alergias alimentares;

Excesso de líquidos durante as refeições:
Afeta a digestão estomacal (dilui o suco gástrico), fazendo com que o alimento chegue ao intestino mal digerido e se torne um “agressor”, causador de alergias alimentares e má absorção;

Pouca ingestão de líquidos ao longo do dia: 
Dificulta a formação do bolo fecal.

Além de avaliar esses fatores de risco, é fundamental que os tratamentos de saúde sejam sempre orientados por um nutricionista clínico, que terá ferramentas para a manutenção e a melhora da saúde do intestino.

Conheça melhor os alimentos que cuidam da saúde do intestino

Grãos integrais (arroz integral, quinoa, linhaça, feijão, soja, lentilha, grão de bico etc), frutas, verduras e legumes frescos: 
Como vimos acima, eles têm papel fundamental na integridade da parede intestinal, no equilíbrio da microbiota e na formação das fezes;

Alimentos ricos em prebióticos (substâncias participam do crescimento dos probióticos no intestino): 
Banana verde, chicória, cebola, aspargos;

Inibidores de crescimento de fungos, leveduras e bactérias maléficas:
Alho, sementes de abóbora, alecrim, gengibre, canela;

Alimentos orgânicos em geral: 
Para diminuir a exposição do intestino a toxinas como os agrotóxicos;

Ingestão adequada de água mineral.

O cuidado com o intestino é essencial e reflete na saúde de todo o organismo. Por isso, esperamos que essas dicas ajudem a tornar suas orientações ainda mais práticas e efetivas.

Fonte: Mãe Terra


Pedras nos Rins - Com o calor excessivo redobre os cuidados com os rins

Pedras nos Rins - Com o calor excessivo redobre os cuidados com os rins
Pedras nos Rins - Com o calor excessivo redobre os cuidados com os rins

Com o calor excessivo, redobre os cuidados com a hidratação para evitar a formação de pedra nos rins

Os cálculos, conhecidos popularmente como pedras nos rins, afetam 5% das mulheres e 12% dos homens, e são especialmente afetados pelo calor.

De acordo com o Centro de Referência em Saúde do Homem, órgão vinculado à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, o calor é o causador de 30% dos números de casos de cálculos renais, problema popularmente conhecido como “pedras nos rins”.


Com o aumento da transpiração, a recomendação é a ingestão de maior quantidade líquidos para manter o corpo hidratado, além de uma dieta equilibrada com a redução do sal, proteína animal e frituras.

Vejam neste vídeo publicado pelo site Tua Saúde no youtube, algumas recomendações de alimentação para prevenção e tratamento de pedra nos rins.


No verão, o calor intenso e a falta de ingestão de líquido são os fatores que comprometem a saúde dos rins, por causa do surgimento dos cálculos renais. Para as pessoas que já sofrem do problema, a propensão a ter mais cálculos no período das altas temperaturas é muito maior em comparação as outras estações do ano.

O cálculo renal é um quadro que surge geralmente pelo acúmulo de cristais a partir de substâncias presentes na urina. Eles são formados por ácido úrico, oxalato, cálcio e cistina.

De acordo com o especialista, José Gastão Rocha de Carvalho, nefrologista do Hospital Nossa Senhora das Graças, essas substâncias se depositam nos rins ou no canal urinário em formato de pedras e podem provocar dores intensas, e obstruções no sistema urinário, gerando riscos e complicações.

Os rins são vitais para a sobrevivência do ser humano. Eles fazem parte do sistema excretor e têm a importante missão de filtrar o sangue e eliminar substâncias que podem prejudicar o organismo, além de regular a estabilidade do ácido básico para manter o pH sanguíneo constante, preservar o equilíbrio de eletrólitos no corpo, como o sódio, potássio, cálcio, fósforo etc, e de produzir hormônios que auxiliam na fabricação dos glóbulos vermelhos.

Formação dos cálculos renais

A presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Carmen Tzanno, informa que, em geral, as pessoas com propensão a ter pedras nos rins têm uma excreção mais elevada de cristais na urina e, quando a hidratação deixa de ser eficaz, a urina fica mais concentrada e os cristais tendem a se depositar.
“Em geral, os cálculos renais podem ser resultado de um distúrbio metabólico que pode causar a hipercalciúria (excreção de cálcio). Em outros casos, se deve à hipocitratúria (deficiência de citrato urinário). Também as pedras nos rins podem estar associadas à doenças como o hiperparatireoidismo (excesso de hormônio que equilibra o cálcio, a vitamina D e o fósforo), além do uso de alguns tipos de medicamentos ou pós-cirurgia bariátrica”, enfatiza. 

Sintomas e diagnóstico

As pedras nos rins nem sempre demonstram evidências que estão presentes no organismo. Em alguns casos, quando o paciente percebe, o problema já está em estágio avançado. “Muitas pessoas nem imaginam que têm pedras nos rins. Elas acabam descobrindo em exames de rotina como, por exemplo, em uma ultrassonografia renal e das vias urinárias. Nesses casos, não existem sintomas aparentes e podem surgir cristais ou alteração do sedimento no exame de urina. Quando a pedra está sendo expelida, ocorrem cólicas que, em geral, se iniciam nas costas (região lombar) e migram para a região abdominal, escroto e face interna das coxas. A urina pode se apresentar vermelha devido à presença de sangue”, explica Carmen. Especialistas explicam que a cólica pode ser tão intensa a ponto de causar náuseas e vômitos e necessitar de internação hospitalar para acompanhamento do caso. Esses episódios costumam atrapalhar o dia a dia do indivíduo, impossibilitando-o de realizar atividades cotidianas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SMN), quando os sintomas se manifestam, eles se caracterizam por dificuldade em urinar, queimação ou dor, urina com aspecto sanguinolento, pressão alta, inchaço nas pernas e ao redor dos olhos, fraqueza constante e dor lombar. O paciente ainda pode ir repetidas vezes ao banheiro, principalmente à noite.

Tratamento

Antes da prescrição do tratamento mais eficaz, é necessário descobrir qual a causa dos cálculos renais. “A indicação pode variar desde somente a correção da má alimentação, substituição de medicamentos, chegando à cirurgia em caso de hiperparatireoidismo. Durante os quadros de cólicas renais, o paciente é medicado com analgésico e anti-inflamatórios, e a pedra pode ser expelida espontaneamente ou passar por um processo de “quebra” em pequenos fragmentos a laser ou por meio da litotripsia (ondas de choque no local dos cálculos)”, elucida a nefrologista.

A profissional ainda enfatiza que quem tem pedra nos rins devido a distúrbios metabólicos pode ter o problema mais de uma vez. No entanto, quando elas são causadas por medicamentos ou estão associadas a algum tipo de doença, o paciente pode ficar curado.

A dieta certa

Para as pessoas que têm tendência a desenvolver cálculos renais, é recomendado não exagerar no consumo de conservas (azeitona, palmito, milho) enlatados (seleta de legumes, extrato de tomate), embutidos (presunto, mortadela, salsicha), salgadinhos e aperitivos (amendoim, batata frita), biscoitos, molhos prontos (mostarda, ketchup, shoyo), frutos do mar, margarina ou manteiga, café, chá, refrigerante, chocolate etc. Não abra mão de consumir alimentos ricos em água, fibras (pão integral, arroz integral, verduras de folhas) e suco de frutas cítricas.

Fatores que podem levar a cálculos renais

Adultos acima dos 40 anos são mais propensos que pessoas mais jovens;
Homens são mais suscetíveis que mulheres;
Alguns tipos de medicamentos;
Excesso de peso;
Consumo em excesso de proteína, sódio, açúcar ou água inadequada;
Doenças digestivas, intestinais e ácido úrico elevados.

Os casos de cálculos renais também podem estra associados a fatores genéticos e doenças como diabetes, obesidade, hipertensão, gota e insuficiência renal crônica.


Fontes: Portal Uol - Hospital Albert Einstein - Site Tua Saúde (Youtube)

Cálcio - Muito mais que somente o alimento dos ossos

Cálcio - Muito mais que somente o alimento dos ossos
Cálcio - Muito mais que somente o alimento dos ossos 


Todo mundo sabe que o cálcio é fundamental para a saúde dos ossos e dentes

Mais saiba que o cálcio é muito mais importante para nossa saúde que isto. Veja aqui algumas dicas e reforce sua alimentação para proteger sua saúde!

Cinco coisas que você não sabia sobre o cálcio


Não é novidade que o cálcio é o nutriente mais importante para a saúde dos ossos, sendo essencial para o seu desenvolvimento e manutenção adequados. É ainda mais importante na infância, gravidez e lactação, períodos em que ocorre rápido crescimento e desenvolvimento dos indivíduos. Mas, você sabia que o cálcio tem muitas outras funções? Este mineral é o mais abundante no corpo humano e, por isso, seu consumo deve ser adequado para que o organismo possa usá-lo adequadamente.
Cálcio - Muito mais que somente o alimento dos ossos
Conheça mais benefícios do cálcio para nossa saúde

MÚSCULOS

O cálcio é importante para os músculos, pois tem papel na função da troponina, que atua na modulação da contração muscular. Participa do mecanismo que regula a contração e o relaxamento muscular que acontece, por exemplo, nos batimentos cardíacos. Por isso, sua deficiência pode trazer problemas de contração muscular, câimbras, cansaço generalizado e desconforto, além de adormecimento, formigamento, contrações contínuas, cólicas menstruais, espasmos e taquicardia.

ENZIMAS

As enzimas são substâncias responsáveis por aumentar a velocidade das reações químicas que ocorrem no organismo, sem elas muitas reações importantes não ocorreriam. O cálcio ativa enzimas responsáveis por diversas funções, como contração muscular, digestão e metabolismo de proteínas, exercendo funções relacionadas à sinalização celular que permite que os nutrientes e hormônios sejam mais efetivos.

SAÚDE CARDIOVASCULAR E HIPERTENSÃO

Além de participar da contração muscular que regula os batimentos cardíacos, sabe-se que a hipertensão está relacionada ao aumento da concentração de cálcio intracelular e da excreção urinária de cálcio. Por isso, o cálcio em quantidades adequadas no organismo ajuda a proteger a saúde cardiovascular.

SISTEMA NERVOSO

O cálcio ajuda a regular a transmissão dos impulsos nervosos. Sua deficiência pode ocasionar alterações no sistema nervoso central gerando alterações de humor, irritabilidade, agitação, nervosismo e insônia. Devido a este mecanismo, o cálcio é relacionado à diminuição dos sintomas da TPM. Evidências científicas indicam que a suplementação é eficaz para este problema.

OBESIDADE

A deficiência de cálcio provoca o aumento deste mineral no interior das células, o que é prejudicial ao organismo. O excesso de cálcio dentro das células estimula a produção de insulina, causando maior produção e armazenamento de gordura e inibição da queima de gordura. Dietas ricas em cálcio atenuam o ganho de peso em períodos de maior consumo alimentar e estimulam a queima de gorduras em períodos de restrição calórica, preservando a termogênese, o que acelera a perda de peso.

Fonte: Natue


Câncer de Mama - O alho pode ser um grande aliado no combate

Câncer de Mama - O alho pode ser um grande aliado no combate
Câncer de Mama - O alho pode ser um grande aliado no combate

Todo mundo já conhece as diversas propriedades medicinais do alho, inclusive contra o câncer em geral

Então você já deve ter ouvido falar da alicina. Ela é o fitoquímico contido no alho, responsável por áquele cheirinho gostoso que você conhece. Mas suas propriedades vão além...

Ela tem ação antiviral, antibiótica e ainda é uma aliada contra o câncer de mama

Quando preparamos algum alimento e fritamos alho para temperá-lo, o cheiro que sobe no ar agrada muita gente. Além de dar sabor e exalar um aroma gostoso, é um aliado e tanto para a saúde, e a responsável por muitos de seus benefícios, é a alicina.

Esse fitoquímico presente no alho tem ação anti-inflamatória e hipotensora, e também ajuda no controle do colesterol. Possui ainda função antibiótica, auxiliando no combate a infecções causadas por micro-organismos; é um potente antifúngico, prevenindo ou inibindo a proliferação de fungos. Some-se a ação antiviral, que auxilia no combate de infecções causadas por vírus. Ou seja, é muito mais do que um aroma a mais no alimento de cada dia.

De acordo com Gabriela Forte (SP), nutricionista clínica, “a maior ação da alicina está em sua potente atividade antioxidante, inibindo os radicais livres, amenizando o envelhecimento celular e diminuindo o risco de alguns tipos de câncer”.

O efeito protetor do alho aparece em um relatório do Instituto Americano de Pesquisa para o Câncer (AICR), que afirma que a maior exposição ao alimento diminui o risco de tumores, por isso os especialistas sugerem mantê-lo na dieta e até aumentar o consumo em alguns casos.

Preferencialmente, o alho deve ser ingerido cru, já que a alicina é degradada com o aumento da temperatura. “Por exemplo, no molho tipo pesto, patê de alho ou picadinho sobre a salada”, exemplifica a nutricionista e pesquisadora em saúde pública da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN), Daniela de Assumpção.


Consumo diário

Nosso corpo tem capacidade de absorção seletiva, por isso a vantagem de usar o nutriente no dia a dia, já que ninguém vai conseguir comer uma vez por semana um quilo de alho.
“Quando o alho for amassado vai liberar alicina na boca, e se conseguirmos engolir um dente inteiro, não dá mau hálito. De forma rotineira, dá para levar”, afirma o nutrólogo Celso Cukier, do Hospital Samaritano (SP).
Não existe um consenso sobre a recomendação diária de alho para consumo, mas o Ministério da Saúde do Canadá assim como a Comissão da Agência Federal Alemã de Saúde sugerem que a ingestão de 4 g de alho cru (1 dente pequeno de alho) ou 8 mg de óleo essencial (duas ou três cápsulas) seja suficiente para a prevenção de fatores de risco cardiovascular.
Já a American Dietetic Association indica o consumo de 600 a 900 mg de alho por dia, o que equivale a um dente de alho cru. Deve-se aguardar de cinco a dez minutos antes de ingerir após ser amassado, porque é nesse período que ocorre um aumento na disponibilidade da alicina.

Varie na ingestão

De acordo com o nutrólogo do Hospital Samaritano não há estudos que mostrem o efeito tóxico em altas doses, e já que o alho só faz bem, inclua-o diariamente em sua dieta, seja no arroz e feijão de todo dia, seja no tempero de carnes, frangos, vegetais cozidos e também na salada; além de fazer bem à saúde, a comida ficará com um sabor agradável.
A maior exposição ao alimento diminui o risco de tumores, por isso, os especialistas sugerem incluí-lo na dieta

O fator boa alimentação

O nutrólogo acrescenta que ainda não há evidências científicas que comprovem que grandes doses de alicina possam ser capazes de controlar os radicais livres, mas alguns experimentos mostraram que a substância produz um efeito anti-inflamatório contra algumas doenças. Cukier faz ainda uma ressalva: no caso de um hipertenso, por exemplo, não é indicado para substituir o medicamento por altas doses do alimento. “Ele é um tratamento auxiliar.”

A nutricionista Gabriela Forte afirma que já é reconhecida a ação do alho no combate ao câncer, principalmente relacionada à presença da alicina.“Esse benefício parece ter relação com vários mecanismos incluindo a proteção hepática contra substâncias carcinogênicas, o aumento do reparo do DNA e a redução da proliferação celular”, explica a nutricionista.

Já o médico Cukier, do Hospital Samaritano,diz que não só o alho, mas a boa alimentação de forma geral auxilia na prevenção do câncer. “Vários vegetais in natura auxiliam. Cada vez mais se estimula esse tipo de orientação, a população acaba comendo melhor e o nível de câncer tem impacto positivo. Não é o alho sozinho, o tomate sozinho, as folhas verdes sozinhas, é o conjunto de vegetais”, conclui.

De acordo com um relatório do AICR, o alho provavelmente diminua as chances de alguém desenvolver câncer colorretal, por isso, o órgão sugere incluir o alimento como parte de uma dieta balanceada e predominantemente baseada em vegetais.

Ainda segundo o instituto, os componentes do alho, entre eles a alicina, têm a capacidadede retardar ou impedir o crescimento de tumores na próstata, na bexiga e no tecido do estômago. Uma recente pesquisa feita pela Escola de Farmácia da Universidade Sungkyunkwan, na Coreia do Sul, mostrou que a alicina induz a apoptose (autodestruição celular) em várias células cancerígenas e inibe o crescimento de tumores. Assim, a alicina também pode ser útil para evitar a progressão do câncer de mama, inclusive.

Fonte: Revista Viva Saúde


Dia Mundial de Prevenção a Osteoporose

Dia Mundial de Prevenção a Osteoporose


Hoje, 20 de Outubro, é o dia Mundial e Nacional de combate a osteoporose. 

Para ajudar no combate, algumas dicas!

A osteoporose é uma doença que deixa os ossos porosos, frágeis e quebradiços, desta maneira são mais susceptíveis à fraturas. 

A osteoporose acomete principalmente as mulheres após os 50 anos, devido a questão hormonal.

Os ossos, além de darem sustentação para nosso corpo também são fonte de cálcio, mineral essencial para o desempenho de várias funções vitais do organismo. Ao contrário do que muita gente pensa, o osso é uma estrutura viva.

Por ser uma doença silenciosa, praticamente sem sinais e sintomas de alarme as pessoas só descobrem com as fraturas propriamente ditas. Assim, a prevenção toma um papel ainda mais fundamental.

No caso dessa doença, a prevenção começa na infância até por volta dos 25 anos, onde a matriz de cálcio vai sendo formada. Nesse período é extremamente importante ingerir alimentos ricos em cálcio como leite e seus derivados, vegetais verde escuros, peixes (especialmente a sardinha).

É como se fizéssemos uma poupança. Até os 25 anos só guardamos cálcio. A partir disso começamos a gastar. Se gastarmos através do processo de reabsorção óssea mais do que acumulamos, temos como conseqüência a osteoporose e conseqüentemente risco aumentado de fraturas , especialmente de fêmur e quadril.

Dentre as medidas preventivas também destacam-se a prática de atividades físicas regulares, porém sem impacto e o hábito de tomar sol (recomendado pela manhã ou no fim da tarde). O sol ajuda a fixar a vitamina D dos alimentos, que também representa uma grande aliada no enfrentamento da osteoporose.

O cigarro e o consumo excessivo de café também aumentam o risco de osteoporose, pois prejudicam a absorção do cálcio do alimentos.



Brasil 40 graus - O calor e suas doenças - Como se proteger

Brasil 40 graus - O calor e suas doenças - Como se proteger
Brasil 40 graus - O calor e as doenças de verão - Dicas para sua proteção

Com a proximidade do início do Verão, estação mais quente do ano, vem as faladas doenças de verão

Isso porque o calor excessivo provoca a ocorrência de alguns problemas de saúde típicos da época, sendo os mais freqüentes: desidratação, insolação, dengue, intoxicação alimentar, hepatite A e doenças de pele.

É a famosa estação 40 graus. Nosso adorável verão contudo vem acompanhado de algumas doenças próprias da estação, então aqui deixamos algumas dicas de como se preparar para enfrentá-las.

Doenças de Verão:

Sintomas
 Entre os sintomas mais relatados pelos pacientes nos hospitais estão:
  • Diarreia; 
  • Dor de cabeça;
  • Dores no corpo; 
  • Vômito; 
  • Mal estar em geral.
Como se proteger 
  • Se hidratar - Procurar beber os famosos dois litros de água por dia;
  • Tomar banho na temperatura ambiente e usar roupas leves;
  • Alimentar-se com verduras, legumes e frutas;
  • Evitar alimentos gordurosos;
  • Aplicar hidratante no corpo de duas a três vezes ao dia;
  • Usar protetor solar com fator de proteção no mínimo de 30;
  • Evitar o sol ou diminuir o tempo de exposição a ele entre 10h e 16h;
  • Usar óculos escuros com proteção UVA/UVB e chapéu ou boné;
  • No dia-a-dia também usar protetor solar, principalmente nas áreas expostas do corpo (face, decote, braços e pernas) diariamente.
Os alimentos também devem receber atenção especial durante o Verão, já que o calor possibilita a proliferação de bactérias, e devem ser bem lavados, de preferência deixando por algum tempo em um recipiente com água com algumas gotas de água sanitária adicionadas.


Saiba um pouco mais sobre as doenças de verão mais freqüentes

Desidratação
A desidratação é a perda de líquidos e sais minerais do corpo, que pode ser aumentada por vários fatores no Verão, como o aumento da própria transpiração. Normalmente, perdemos em média 2,5 litros de água por dia, seja pela urina, fezes, suor ou até mesmo pela respiração.
A pessoa passa a apresentar sede, fica muito tempo sem urinar, com a boca e mucosas secas e olhos ressecados. É uma doença greve, por isso, deve ser evitada com algumas dicas: prefira local arejado e com sombra, use roupas leves e ingira constantemente líquido.
Como tratamento, o soro caseiro pode ser utilizado.
Preparação: uma colher de chá de açúcar e uma colher de café de sal misturados em um litro de água. A pessoa pode tomar a vontade a cada 20 minutos e após cada evacuação no caso de diarréia. Nesses casos, procure o posto de saúde mais próximo de sua residência.

Insolação
A insolação é provocada pela exposição excessiva ao sol. Como conseqüências, a pessoa pode sentir os seguintes sintomas: intensa falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente, avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e, até mesmo, a inconsciência. Procure o atendimento médico imediatamente.
É importante lembrar que não apenas a pessoa que fica diretamente exposto ao sol contrai a doença, pois a areia da praia, por exemplo, também reflete o sol e aumenta a temperatura da pessoa pelo calor.

Intoxicação Alimentar
A alimentação feita em locais que não possuem higiene adequada no preparo e conservação dos alimentos ou que deixam eles expostos por longos períodos à temperatura ambiente são os principais causadores da intoxicação alimentar.
Quando uma pessoa ingere um alimento contaminado, ela pode desenvolver alguns sintomas que variam de acordo com o micro-organismo causador do distúrbio. Pode causar diarreia, um simples desarranjo intestinal, náuseas, vômitos, febre, cefaleias, e até mesmo, desidratação grave. Em geral, os sintomas duram poucos dias.

Micoses
No verão temos mais contato com a água, seja transpirando ou pela ida na praia ou na piscina. Isso faz com que a nossa pele fique úmida por mais tempo, o que favorece o aparecimento das micoses - doenças causadas por fungos. A doença pode aparecer nas virilhas, nos pés e nas unhas.
Inicia-se sempre por uma pequena lesão vermelha, provoca escamação contínua da pele e coceira. Deve-se procurar um dermatologista.

Conjuntivite bacteriana
É uma infecção das conjuntivas (aquela pele transparente que recobre os olhos). Entre os sintomas, estão: olhos vermelhos e lacrimejantes, produção de secreção amarelada, fotofobia (dor ao olhar para a luz) e uma sensação de que há areia dentro dos olhos. Às vezes, acontece de as pálpebras estarem grudadas quando a pessoa acorda. O contágio pode ser através de contato direto com uma pessoa contaminada, compartilhando toalhas, mergulhando no mar em praias poluídas e usando piscinas com tratamento de cloro ausente ou ineficiente.
Para prevenir, não freqüente praias impróprias para banho nem piscinas que não estejam devidamente tratadas. Não coloque as mãos nos olhos infectados e evite compartilhar toalhas. Procure um oftalmologista para tratar.

Dengue
A dengue é uma das mais conhecidas doenças de verão. Ela é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que transporta o vírus. Quem é picado pelo inseto pode sentir febre alta, dores de cabeça, nos músculos e nas articulações, além de perder o apetite, ter náuseas e apresentar bolinhas vermelhas por todo o corpo que causam coceiras. Por isso, em caso desses sintomas procure o posto de saúde mais próximo de sua residência.
A única maneira de evitar a dengue é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é necessário acabar com os criadouros (lugares de nascimento e desenvolvimento do mosquito). Portanto, não deixe a água, mesmo limpa, ficar parada em qualquer tipo de recipiente, como Pneus, pratos de vasos, garrafas, caixas d’água, entre outros.

Hepatite A
Causada por vírus, a hepatite viral do tipo A, que ataca o fígado, é outra doença comum do verão. A pessoa pode levar até um mês para desenvolver os sintomas, tempo suficiente para o vírus atacar as células hepáticas, provocando amarelamento da pele, febre, dores de cabeça e musculares e o aumento do tamanho do fígado. Mas nem sempre a pessoa apresenta todos esses sintomas, podendo sentir apenas mal-estar ou sinais de gripe. Neste caso o atendimento médico é fundamental para o diagnóstico.

Fonte: Hospital Federal de Bonsucesso


Peso Ideal - 10 Dicas para conseguir manter o peso desejado

 Peso Ideal - 10 Dicas para conseguir manter o peso desejado Publicar
Peso Ideal - 10 Dicas para conseguir manter o peso desejado

Você conseguiu atingir o peso desejado, PARABÉNS!!! Mais e agora para manter?

Você lutou, passou por várias dificuldades, enfrentou várias tentações e enfim conseguiu atingir "o seu peso ideal". Agora começa um novo caminho, manter o peso desejado, como fazer - vamos lhe ajudar com algumas dicas!

A manutenção do peso não é algo fácil, que tenha uma fórmula milagrosa que sirva para todo mundo, uma vez que tem que se levar em conta as necessidades energéticas de cada indivíduo, e só é possível quando a quantidade de energia ingerida é igual à quantidade de energia gasta.


Algumas dicas que sugerimos aqui, servem para todos, contudo, saiba que a individualidade do organismo tem toda a importância no sucesso do processo, sabendo sempre que é necessário consultar um profissional de nutrição, de modo a conseguir atingir o objetivo de forma eficaz.

1. Alimente-se bem
Evite ficar grandes períodos de tempo sem comer. Expôr o organismo a períodos de jejum prolongado provoca a diminuição do metabolismo, levando a uma maior facilidade em ganhar peso. Assim, deve fazer vários lanches ao longo do dia;

2. Coma devagar e mastigue bem os alimentos
Este parece um conselho irrelevante, mas que faz toda a diferença na quantidade de alimentos ingerida, uma vez que a libertação dos hormônios que transmitem a sensação de saciedade ao cérebro só começa 20 minutos após o início da refeição. O fato de fazer a refeição sentado também influencia o organismo a sentir-se saciado com uma menor quantidade de alimentos;

3. Não pule o café da manhã
Comece o dia com um café-da-manhã completo, que contenha, preferencialmente, um alimento rico em carboidrato, como pão ou cereais, pelo menos uma fonte de proteína, como o presunto de peru, o ovo, o queijo fresco, o requeijão, ou até o leite, o iogurte ou alimentos equivalentes, e uma fruta;

4. Coma de tudo um pouco, mais com moderação
Ingira carnes vermelhas - optar pelos cortes magros e limpos, sem gorduras visíveis - no máximo duas vezes por semana, peixes gordos três a quatro vezes por semana, e as restantes refeições principais de outros peixes ou carnes. Inclua na sua alimentação 2 a 3 porções de fruta por dia, legumes nas 2 refeições principais, e leguminosas como feijão, grãos, ervilhas, favas, lentilhas ou soja, pelo menos, 2 vezes por semana;


5. Procure sempre fazer uma alimentação saudável
Exclua os alimentos industrializados, ricos em gorduras saturadas e trans e açúcares de absorção rápida, uma vez que são altamente prejudiciais à saúde. Na mesma linha de pensamento, limite o consumo de fast-food, de refrigerantes e de bebidas alcoólicas. Evite frituras, optando por ingerir alimentos mais simples e pobres em gordura, como os grelhados, cozidos, crus, ensopados ou assados, sem molho, etc;

6. Modere o consumo de sal
Privilegie o consumo de ervas aromáticas, especiarias, limão, alho, cebola e outros, ao invés de utilizar grandes quantidades de sal para temperar as suas refeições. Utilize o sal com moderação, uma vez que o seu uso excessivo traz grandes problemas para a saúde, principalmente a hipertensão;

7. Cuidado com a tentação dos pães
Evite o pão de farinhas refinadas, branco. O pão escuro é uma fonte de hidratos de carbono complexos, que fornece energia por um período de tempo considerável. Deve optar por ingeri-lo de manhã, ou noutras refeições do dia, evitando o seu consumo exagerado à noite. Não se esqueça que também este é um alimento a consumir com moderação: se abusar da quantidade, a quantidade excedente de hidrato de carbono é transformada em gordura e armazenada no organismo;

8. Não diga que não aos doces, mas consuma-os com muita moderação
Evite as típicas sobremesas, e, se tiver necessidade de comer algo imediatamente a seguir ao prato, prefira fruta, gelatinas de fruta ou sorvetes de fruta. Ao jantar, experimente incluir uma infusão ou chá como sobremesa, de forma a facilitar a digestão;

9. Nunca se esqueça da água
Mais uma vez, é fundamental manter o seu corpo hidratado. Deve ingerir cerca de 1,5L de água ou líquidos não açucarados;

10. Agora a recomendação de praxe, faça alguma atividade física
Pratique exercício, pelo menos 30 minutos por dia. O exercício é uma peça-chave, não só pelo papel óbvio na manutenção de um metabolismo acelerado, de valores normais de gordura e de músculo, mas também como agente motivador, que permite o aparecimento da sensação de relaxamento e que ajuda a diminuir a ansiedade.

Fontes de consulta: Boa Saúde / Vida e Saúde / Vix - Vida 


Casca de banana - Benefícios e receitas para começar a aproveitar


Você já deve ter ouvido muitos conselhos sobre o bem que faz o consumo da casca de algumas frutas e verduras, mais esta é realmente especial - Saiba mais e experimente!

A banana é uma fruta rica em vitaminas A e C. A casca apresenta um teor de minerais muito elevado em relação ao fruto. A ingestão da casca é uma boa alternativa para o aumento de minerais na dieta. 

A ingestão de cascas de banana oferece os benefícios das fibras e confere poderosos antioxidantes a sua dieta


Além de gerar economia e diminuição de resíduos, a ingestão das cascas é bastante nutritiva. Na Índia, por exemplo, pessoas se beneficiam das vantagens nutricionais delas há décadas.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a banana é a segunda fruta mais consumida no planeta, com 11,4 kg/hab/ano, perdendo apenas para a laranja, com 12,2 kg/hab/ano. A banana é muito popular, e sua “embalagem natural” torna seu consumo muito prático.

Enquanto a "carne" de uma banana é suave e doce, a pele é grossa, fibrosa, e ligeiramente amarga. Para comer a casca, você pode misturá-la em vitaminas, fritar, assar, ou cozinhar durante pelo menos dez minutos. O calor é importante para romper as fibras da pele e assim suavizar a textura resistente, tornando a casca mais fácil de mastigar e digerir.

Além disso, quanto mais madura a banana estiver, mais fina e mais doce a casca estará. Isso acontece por conta de um hormônio vegetal natural chamado etileno, que as frutas liberam conforme amadurecem. O etileno interage com os açúcares e fibras na casca de banana, transformando açúcares complexos em açúcares simples e quebrando a pectina, uma fibra que a mantém rígida. Por esse motivo que as frutas maduras são mais sensíveis e suscetíveis a “machucados”.

Comer a casca não é bom apenas para o seu corpo, mas também é melhor para o ambiente. A maioria das pessoas joga a casca fora, isso significa uma grande quantidade de resíduos orgânicos. A maior parte deste lixo vai para aterros sanitários, mas ela pode ser utilizada como fertilizante, na purificação de água, e na compostagem.


Benefícios nutricionais


A casca de banana traz mais nutrientes e benefícios ainda poderosos que os da polpa da fruta, sendo rica em:
  • Fibras: combate a prisão de ventre e regula os níveis de açúcar e de colesterol no sangue;
  • Luteína: antioxidante poderoso, que mantém a boa saúde dos olhos e previne o envelhecimento precoce e doenças como câncer e aterosclerose;
  • Ômega-e e ômega-6: controlam a inflamação, combatem o colesterol alto e previnem doenças do coração;
  • Potássio: importante para a formação de dentes e ossos e para evitar fraqueza e fadiga muscular;
  • Cálcio: fortalece ossos e músculos;
  • Magnésio: previne a diabetes e mantém a saúde do sistema nervoso.
A casca contém quantidades elevadas de vitaminas B6 e B12, além de magnésio e potássio. Ela também contém fibras e proteínas.

Casca de banana melhora seu humor
Cascas de banana contêm triptofano, um aminoácido essencial que aumenta os níveis de serotonina (mesmo hormônio liberado quando consumimos chocolate) no corpo e afeta o humor.

Casca de banana faz bem ao seu coração
Além disso, ela é rica em fibras que promovem movimentos intestinais, auxiliam na digestão e podem reduzir os níveis de colesterol no sangue. Ajudando assim a prevenir doenças cardiovasculares, derrames e câncer (saiba mais sobre alimentos com fibras ).

Casca de banana ajuda a prevenir câncer e diabetes
Os amidos resistentes presentes na casca da banana viram alimento das bactérias que vivem no intestino grosso naturalmente. Na digestão desse amido, as bactérias produzem substâncias que fazem bem para nosso organismo e ajudam a prevenir diversas doenças, como câncer e diabetes.

Casca de banana protege a visão e evita envelhecimento precoce
Cascas de banana são ricas em polifenóis e carotenoides, que são fitoquímicos com propriedades antioxidantes. Eles reduzem o estresse oxidativo e neutralizam os radicais livres em vários órgãos, incluindo a pele. Um deles é a luteína, um carotenoide que protege os olhos dos danos dos radicais livres, dos riscos de catarata e de degeneração macular, e filtra os raios UV prejudiciais.

Casca da Banana é rica em Fibras e Cálcio
A casca de banana é rica em fibras, que melhoram o funcionamento do intestino, e tem mais minerais que a própria fruta, como o potássio e o cálcio, que fortalecem os ossos e previnem cãibras musculares.

Além disso, por ser pobre em calorias, é também boa para emagrecer

Mas para aproveitar todos os nutrientes tem que prepara-la bem, e não deve ser comida crua, sendo excelente na forma de farinha ou em diversas receitas como bolos, sucos e sobremesas, que sugerimos a seguir.

Maneiras de comer cascas da banana
Há lugares no mundo onde comer cascas de bananas é um hábito natural. Em algumas culturas, cascas de banana são fritas como uma iguaria. No leste da Índia, as cascas são usadas para muitos pratos e algumas sobremesas.

Em alguns países asiáticos, a banana inteira é cozida, com casca e tudo mais. Alguns chegam a cortar cascas da banana e secá-las ao sol, para depois serem cozidas. As cascas podem ser agregadas a diversas receitas, basta utilizar a criatividade e assim se nutrir, gerar menos resíduo e de quebra ainda economizar!

Confira algumas receitas para  consumir a casca de banana

Pão de Casca de Banana

Ingredientes
- 6 bananas com casca
- 1 xícara (chá) de água
- 1 xícara (chá) de leite desnatado
- ½ xícara (chá) de óleo
- 30 gramas de fermento fresco
- ½ kg de farinha de trigo
- ½ pitada de sal
- 1 ovo
- 1 colher (sopa) de açúcar light

Modo de Preparo
Bater as cascas de bananas e a água no liquidificador. Juntar o óleo, os
ovos e o fermento e bater mais um pouco. Acrescentar a farinha e o açúcar
e misture. Por último, acrescente o sal e coloque na massa as bananas em
rodelas. Colocar a massa em uma forma untada com margarina e farinha de
trigo. Deixar crescer até dobrar de volume e levar para assar em forno
pré-aquecido.

Fonte: cybercook

Doce de casca de banana

Casca de 6 bananas nanicas
2 xicaras (chá) de açúcar
1 xicara (chá) de água
1 colher (sopa) de suco de limão
4 cravos
2 pedaços de canela de pau

Numa panela média,junte as cascas de bananas e cubra com água.Leve ao fogo
médio e deixe ferver por cinco minutos ou até ficarem macias.Escorra e
corte em pedaços.Bata no liquidificador até obter um purê.Ponha novamente
na panela e junte os demais ingredientes.Leve ao fogo médio com a panela
semi-tampada,mexendo às vezes até a mistura se soltar do fundo.Retire do
fogo,deixe esfriar e sirva.

Fonte: cybercook

Vitamina de casca de banana

Ingredientes

2 bananas
1 casca de banana
½ xícara de aveia em flocos
1 xícara de leite sem
gelo à gosto

Modo de preparo:
Para fazer a vitamina nutritiva com casca de banana que emagrece, sacia a fome e traz saúde basta bater todos os ingredientes no liquidificador.



Topo