Fome e Preguiça - Por que sentimos mais fome quando faz frio?

Fome e Preguiça - Por que sentimos mais fome quando faz frio?

Quando está fazendo "aquele friozinho" lá fora, tudo que queremos é uma comida quentinha e deitar embaixo do cobertor não é mesmo?

Calma, não precisa se sentir mal. Saiba que a fome exagerada no frio tem uma explicação científica! 

Quando a temperatura cai, nosso corpo precisa intensificar o trabalho para se manter aquecido e continuar funcionando corretamente.


Em outras palavras, precisa de energia extra. Comer mais nesse período seria uma espécie de manobra do nosso organismo para nos preparar para o estresse gerado pelas baixas temperaturas e nos proteger

Se você é do tipo que, basta esfriar um pouquinho, logo sente aquela fome incontrolável e o desejo por alimentos mais calóricos, não se preocupe, a ciência está do seu lado: a fome exagerada no frio tem uma explicação.

É o mesmo comportamento dos homens da pré-história, que precisavam acumular mais gordura para criar reserva energética e, assim, se preparar para os dias mais frios em que caçar era mais difícil e menos frequente

Outra explicação é que, em países onde o inverno é rigoroso e com dias mais curtos, o corpo produz doses extras de melatonina (o hormônio do sono) para compensar a falta de luz. O resultado é que as pessoas se sentem mais sonolentas e seus níveis de atividade diminuem. Com menos energia, o corpo sente mais frio. Como a metabolização dos alimentos gera calor, é natural que o organismo necessite de mais comida para se manter aquecido.

Além das necessidades físicas, o aumento do apetite também pode estar ligado ao desânimo que algumas pessoas sentem durante os meses de inverno --como se fosse uma leve depressão. Ao ingerir alimentos prazerosos, principalmente ricos em carboidrato, o corpo produzirá mais serotonina, hormônio que fará com que você se sinta feliz.

O problema é que esses alimentos também causam picos de açúcar no sangue, que despencam rapidamente, criando uma montanha-russa de emoções na mente.

Explicando a 'gordice'

A vontade de comer especificamente alimentos ricos em gordura e carboidrato também pode ter origem em nossos ancestrais.

Os pesquisadores explicam que isso está ligado a questões culturais, pois em outras épocas a estação do frio estava relacionada à escassez de alimentos. Não era possível armazenar verduras e frutas, então a ideia era utilizar os alimentos disponíveis. E o que as culturas antigas conseguiam fazer era matar animais e conservar sua carne em sal, guardando-a para o inverno.

Isso foi ficando como herança cultural, passando de geração para geração. Além disso, no frio, acabamos dando preferência às preparações culinárias quentes, que, em geral, são à base de alimentos mais ricos em gordura.
"Quase sempre optamos por sopas mais elaboradas e calóricas, fondues ou carnes com molhos quentes, deixando de lado as saladas e as frutas".
No entanto, se isso passar a ser um hábito, pode ameaçar seriamente a saúde do nosso corpo.
"O exagero na ingestão de alimentos ricos em gordura pode provocar aumento no nível de colesterol, e pratos mais salgados ou mais temperados podem levar a uma elevação na pressão arterial", alertam os pesquisadores.
Agora que temos conservantes, geladeira e supermercados, esse processo de sobrevivência traz outras consequências para o corpo, a principal delas é engordar e junto a isso suas doenças.

Fonte: UOL Notícias - Clique Ciência / Nova Escola


Topo