Grão-de-bico - Consumo pode controlar diabetes e doenças do coração

aliados da saúde
Grão-de-bico - Consumo pode controlar diabetes e doenças do coração

Estudos mostram que o consumo regular de grão-de-bico, pode ajudar no controle do diabetes, e na diminuição do risco de doenças cardiovasculares.

O grão-de-bico beneficia o desenvolvimento de bactérias benéficas no intestino grosso — ele contém um amido que resiste ao processo de digestão e serve de “alimento” para essas bactérias, que competem com as bactérias que fazem mal, diminuindo o desenvolvimento destas últimas e favorecendo o sistema imunológico do corpo.

As bactérias benéficas também podem ajudar a absorção de certos nutrientes, como o cálcio, e oferecer proteção contra o câncer colo-retal.


Por muito tempo, acreditou-se que o grão-de-bico era originário do sudoeste asiático. Ele é a base da alimentação dos indianos, talvez por ser uma boa fonte vegetal de proteína em um país em que grande parte da população é vegetariana.

Mas, antes de ser adotado na Índia, o grão-de-bico já era cultivado no Oriente Próximo, como mostram os registros arqueológicos. Provavelmente, a leguminosa foi levada da Turquia à Índia, onde se difundiu rapidamente.

Na Espanha, foi introduzido pelos fenícios e tornou-se bastante popular durante o domínio árabe na península ibérica. Foram principalmente os espanhóis que trouxeram o grão-de-bico para o Novo Mundo, pouco depois do Descobrimento.

Chegou ao Brasil com os portugueses, que utilizam o ingrediente em vários pratos típicos, mas seu cultivo e seu consumo cresceram por conta dos imigrantes vindos da Espanha e do Oriente Médio.

Apesar de ser a quinta leguminosa mais cultivada no mundo (depois da soja, do amendoim, dos feijões e da ervilha), a produção no Brasil ainda é pequena para atender ao consumo interno e o país importa grandes quantidades de grão-de-bico do México e da Argentina.
A boa quantidade de fibras alimentares do grão-de-bico também ajuda a prevenir o câncer de colón e do reto, e a constipação intestinal. Além disso, o consumo de alimentos ricos em fibras nas refeições faz com que a pessoa se sinta saciada mais rapidamente, o que pode ajudar no gerenciamento do peso e no controle do colesterol e depressão.

Entre os principais componentes das proteínas do grão-de-bico está o aminoácido triptofano. No organismo, essa substância se transforma em serotonina, um neurotransmissor relacionado às sensações de bem-estar e prazer.

O fósforo tem um papel fundamental na saúde dos ossos e dos dentes e auxilia a regeneração dos tecidos. O manganês, além de facilitar os processos metabólicos, tem ação antioxidante.

A niacina, ou vitamina B3, atua na formação do material genético, permitindo o crescimento normal e saudável. O folato (vitamina B9) também é essencial para a produção do material genético e contribui para prevenir más-formações fetais.

Como Conservar
O grão-de-bico seco deve ser guardado em recipiente hermeticamente fechado, ao abrigo da luz, do calor e da umidade.

Quando cozido, o grão-de-bico pode ser colocado, depois de frio, em recipiente tampado e guardado na geladeira por cerca de três dias. Também pode ser congelado.

O grão-de-bico enlatado deve ser retirado da embalagem depois que esta for aberta e guardado na geladeira da mesma forma indicada para o grão-de-bico cozido em casa.

Idéias para Servir
Cozido e temperado com molho vinagrete, o grão-de-bico pode ser servido como salada. Também pode ser misturado com outros grãos e cereais integrais (arroz, trigo) para uma salada de grãos.

A salada de bacalhau é feita com o peixe já preparado e desfiado e grão-de-bico. Tempere com azeite, sal, pimenta e salsa picadinha.

Da culinária árabe vem o homus, purê de grão-de-bico batido com azeite, suco de limão e pasta de gergelim (tahine). E da israelense, o falafel, bolinho frito de grão-de-bico.

Sopas substanciosas são feitas com grão-de-bico, sozinho ou acompanhado de outros legumes. Ele também entra em cozidos de carnes, aves e legumes.

Dicas de Preparo
Para acelerar o cozimento do grão-de-bico, coloque os grãos em um recipiente, cubra com água e deixe na geladeira por cerca de oito horas.

Fonte: Nestlé - Enciclopédia da Saúde



Relacionadas Para Você
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »