Dietas - As saladas podem ser uma refeição completa

ALIADOS DA SAÚDE
Dietas - As saladas podem ser uma refeição completa

Não tem jeito, as dietas viraram rotina na vida de muita gente, principalmente quando é necessário atingir um objetivo relacionado à saúde e perda de peso! 

E um prato que não pode faltar, quando se segue uma dieta equilibrada, é o de saladas. 

E não é novidade que verduras e legumes são a base de uma salada nutritiva, porém, não são ingredientes apreciados por todos, o que pode ocasionar dificuldade para seguir regularmente uma alimentação balanceada.



Mas será que é possível deixar a sua salada mais atrativa e gostosa sem perder seus benefícios nutricionais? A resposta é sim. O ideal é incluir molhos à base de suco de frutas, azeites e ervas, e utilizar outros artifícios como mesclar uso de folhas, dividindo a composição entre folhas suaves e amargas.

Também vale incluir frutas, frutos secos, oleaginosas (nozes, castanhas) e fontes de proteína, que ajudam a aumentar a aceitação dos pratos.
Outro fator importante é utilizar ao menos um alimento de cada grupo alimentar. Entre os grupos temos:
  • Carboidratos (pães, batata, mandioca, cará, inhame, mandioquinha, milho);
  • Proteína de origem animal (frango desfiado, peito de peru, atum, sardinha, ovo cozido, queijo magro ou ricota);
  • Leguminosas ou proteínas de origem vegetal (lentilha, ervilha partida, grão-de-bico);
  • Legumes (brócolis cozido, cenoura, beterraba, palmito, pepino, tomate)
  • Gorduras (óleos e azeites)

O ideal é que todas as refeições sejam equilibradas nutricionalmente, e quando as saladas são o único prato da refeição, devem ser compostas em quantidade e diversidade balanceadas. Para isso, a composição adequada deve conter ao menos um alimento de cada grupo, sendo eles carboidratos, proteínas, gorduras, fibras e minerais.
Para entender melhor, uma salada de batata não é uma refeição equilibrada, devido à quantidade de carboidrato presente neste alimento. Contudo, se o prato for composto por agrião, alface, iscas de peito de frango, cenoura ralada, milho, ervilha partida, tomate e cebola, regados a azeite extra virgem, pode se tornar uma refeição completa.
“Combine alimentos de cada um dos grupos e monte seu próprio cardápio”, ensina Érica de Souza Teixeira, nutricionista do Hospital Israelita Albert Einstein. Faça pratos coloridos, compre produtos da safra (melhor qualidade, maior disponibilidade e melhor preço), varie as folhas utilizadas, evite monotonia alimentar. Além disso, você também pode incluir saladas em lanches para que se tornem mais nutritivos”, recomenda a nutricionista.

Saladas no inverno

Normalmente, as saladas cozidas são mais aceitas no período de frio, porém deve-se lembrar que colorir o prato com verduras e legumes é uma prática a ser adotada em todos os dias do ano. Esses alimentos fornecem fibras, vitaminas e minerais, além de compostos que protegem o organismo, contribuindo para melhora da resistência e imunidade. A dica é consumir verduras e legumes junto com as preparações quentes. Incluir verduras às sopas é uma boa pedida. “As escolhas alimentares devem ser conscientes, caso contrário, pode-se desencadear desequilíbrios nutricionais com prejuízos sérios à saúde” , alerta a nutricionista Érica.

Fonte: Hospital Albert Einstein


Topo