Diabetes - Você sabe se corre risco de desenvolver ?

Diabetes - Você sabe se corre risco de desenvolver 

Saiba mais sobre diabetes e suas causas, e veja se você corre risco de desenvolver.

Hoje, no Brasil, há mais de 13 milhões de pessoas vivendo com diabetes, o que representa 6,9% da população. E esse número está crescendo. 

Em alguns casos, o diagnóstico demora, favorecendo o aparecimento de complicações. Pode ser que você ou alguém próximo tenha diabetes. Saiba mais e aprenda a conviver bem com a doença, transformando-a em mais um motivo para cuidar da saúde.


A diabetes tipo 2 aparece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controlar a taxa de glicemia.

Cerca de 90% das pessoas com diabetes têm o Tipo 2. Ele se manifesta mais frequentemente em adultos, mas crianças também podem apresentar.

Dependendo da gravidade, ele pode ser controlado com atividade física e planejamento alimentar. Em outros casos, exige o uso de insulina e/ou outros medicamentos para controlar a glicose.

A diabetes tipo 2, normalmente pode ser evitada com cuidados preventivos, como alimentação adequada e redução de peso. Se você é uma dessas pessoas que se assustam com números, não vai gostar dos números que virão a seguir!

Em 2014, pelo menos 350 milhões de pessoas viviam com diabetes. Em 2012, essa doença havia causado a morte de 1,5 milhão de pessoas, número que a Organização Mundial da Saúde calcula que aumentará em cerca de 50% nesta década.

A boa notícia é que, na grande maioria dos casos, medidas preventivas podem ser tomadas. Isso se dá porque a diabetes mais comum é a conhecida como tipo 2, que está associada ao peso e ao estilo de vida. Portanto, está nas nossas mãos fazer algo para afastar a ameaça da doença.

A diabetes tipo 2 pode começar discretamente, com sinais não muito óbvios, mas é importante conhecer os fatores de risco para se prevenir.

O que fazer?
Se você tem excesso de peso ou cintura muito larga, pode evitar ou atrasar a diabetes tipo 2 mantendo uma dieta saudável e sendo mais ativo fisicamente.

Estima-se que cada quilo adicional aumente o risco da doença em 16%.

Não foi comprovado que algum método de perda de peso específico seja mais efetivo do que outros.
Recomenda-se uma dieta rica em vegetais, com poucas calorias e muitas vitaminas e minerais, temperados com gorduras saudáveis como azeite de oliva, e acompanhados de nozes, castanhas e peixes.

As proteínas também são importantes. Entre as boas fontes estão carne sem gordura e não-processada, lentilhas, iogurte grego, ovos, grãos e, novamente, nozes, castanhas e peixes.

E frutas: ainda que as tropicais tenham muito açúcar, isso não quer dizer que precisem ser banidas.

Fazer exercício é essencial a uma boa saúde, mas atividades comuns contam: caminhar, limpar a casa, brincar com as crianças --qualquer coisa que faça você se movimentar ajuda a controlar seu peso e pode reduzir o nível de açúcar no sangue, pois contribui para que o corpo use insulina de forma mais efetiva.

Fonte:


Topo