Carne Vermelha - O que acontece com seu corpo quando você para de comer

aliados da saúde
Carne Vermelha - Veja os efeitos em seu corpo quando você para de comer 

Dietas consideradas mais saudáveis como as vegetarianas e veganas estão cada vez mais em alta, e tudo indica que a tendência é que elas venham para ficar.

Existe um grande debate sobre a necessidade de consumir carne, e sobre as implicações de ela ser tirada do cardápio. Porém, poucas pessoas consideram os efeitos que isso pode causar no corpo.

Assim, pesquisamos e separamos 6 coisas que acontecem quando paramos de comer carne: 


1 – Perda de peso
Segundo nutricionistas e vários estudos sobre alimentação, a carne é completamente associada ao ganho de peso. Por isso, não é de se admirar que a mudança para uma dieta vegetariana ou vegana tenha um impacto enorme sobre a forma física.
Em um estudo de 2014, que comparou a qualidade nutricional de dietas veganas, vegetarianas, semivegetarianas, pesco-vegetarianas e onívoras, foi descoberto que a dieta vegana teve a maior pontuação de benefícios em todas as áreas examinadas. Um estudo de 2013 também a indicou como a melhor para perder peso, em comparação com outras dietas, ao longo de um período de seis meses.

2 – Melhora no odor corporal
“Suores de carne” são péssimos e reais. Comer carne tem um efeito direto sobre o odor corporal. Isso acontece porque a carne vermelha é mais difícil de ser digerida, se comparada a outros alimentos, obrigando o corpo a trabalhar mais e, consequentemente, transpirar.
Em um estudo de 2006, participantes do sexo masculino que estavam em uma dieta sem carne há duas semanas, foram considerados possuidores de um odor mais agradável e atraente, segundo a opinião das mulheres, em relação aos que eram consumidores assíduos de carne.

3 – Diminuição do paladar
A carne vermelha é uma das principais fontes de zinco. A falta do nutriente pode causar menor percepção de alguns tipos de gosto, de acordo com um estudo japonês realizado em pacientes do Hospital Universitário de Tokushima. No entanto, isso é extremamente raro e não chega a ser motivo para tanta preocupação.

4 – O cansaço aumenta, assim como as chances de ficar doente

Para ser vegano ou vegetariano, é preciso controlar bem a ingestão de vitaminas que são normalmente encontradas na carne. A falta dessas vitaminas poderia causar doenças. Segundo a blogueira Jordan Younger, é preciso se certificar de que você está recebendo todas elas. Ela afirma que sua dieta vegana cortou vários grupos de alimentos e fez tão mal a ela, que seu cabelo caiu e ela sentia cansaço o tempo todo.
A falta de ferro, facilmente obtido da carne vermelha, por exemplo, pode ser a causa do cansaço. O NHS (Sistema Nacional de Saúde dos EUA), observa que a absorção de ferro é mais difícil através de vegetais e legumes, em comparação com a carne, mas é completamente possível satisfazer as necessidades nutricionais com uma dieta vegana, desde que sejam consumidos os alimentos certos. Legumes, pão integral, cereais matinais fortificados com ferro e vegetais folhosos de coloração verde escura (como agrião, brócolis e couve) são grandes fontes de ferro.

5 – Menor risco de câncer de intestino
A Organização Mundial de Saúde, no ano passado, classificou as carnes vermelhas embutidas – bacon, salsichas, linguiça, etc. – como altamente cancerígenas. Carnes processadas tiveram a mesma classificação de álcool, amianto e cigarros em relação à “forte evidência” de ligação com o câncer de intestino. Acredita-se que a cor vermelha da carne, obtida pelo pigmento heme, pode danificar o revestimento do intestino.
Um estudo dos EUA feito em 2015 concluía ainda que os vegetarianos tinham um risco 22% menor de desenvolver câncer colorretal, se comparados aos não-vegetarianos. Para os veganos, no entanto, a diminuição foi de 16%.

6 – Doenças cardíacas são mais raras
Carne e doenças cardíacas estão relacionadas. Pensava-se que a gordura saturada da carne era a responsável por essa ligação. Porém, esta suposição foi oficialmente desmentida. Uma pesquisa recente descobriu que há algo, especificamente na carne, que poderia ser um fator de risco. Pesquisadores de Cleveland descobriram que a carnitina, um nutriente encontrado na carne, desencadeia uma reação de micróbios no intestino que contribui para o desenvolvimento de problemas cardíacos.
“Estes estudos oferecem algumas razões poderosas para considerar deixar, diminuir ou limitar o consumo de carne vermelha. É importante conversar com seu médico, pois ele pode aconselhá-lo com base em seu histórico de saúde pessoal e risco individual de doença cardíaca”, disse Stanley Hazen, PhD em medicina, dos EUA.
Fonte: Metro / Jornal Ciência


Topo