Benefícios dos peixes e frutos do mar na alimentação

Benefícios dos peixes e frutos do mar na alimentação

Peixes e frutos do mar evitam enfarte, turbinam a memória, emagrecem,protegem a visão e muito mais!

Você sabia que somos privilegiados quando o tema é peixes e frutos do mar? São mais de 3 mil espécies de peixes e frutos do mar em 7.300 km de costa brasileira. Com essa grande variedade porque será que não consumimos muito esses alimentos? 

Muita gente torce o nariz para eles devido ao cheiro, textura e sabor. Porém bem prepardos ficam uma delícia e ainda fazem muito bem á saúde. Dúvida? Então confira agora mesmo! 



Saborosos, nutritivos e saudáveis! 
Assados, grelhados, em saladas, fritos, ensopados, petiscos e crus. Seja lá qual for o modo de preparo, os peixes e os frutos do mar dão um gostinho pra lá de especial ao prato. E não é só o paladar que é presenteado com a gastronomia vinda do fundo do mar. 

A saúde também sai ganhando. "Eles são ricos em proteínas, vitaminas e minerais importantes para o bom funcionamento do organismo", destaca a nutricionista funcional Robena Molinari, da Clínica Patrícia Davidson, do Rio de Janeiro. 

Peixes 
O ômega-3 é um dos responsáveis pela boa fama do peixe. "A substância previne doenças inflamatórias e cardíacas e ajuda no desenvolvimento cerebral", aponta a nutricionista. Esse tipo de gordura é encontrado principalmente nos de águas frias e profundas, como atum, bacalhau, salmão, sardinha e truta. 

Segundo estudo feito pela Universidade de Gotemburgo, na Suécia, o consumo de peixes ricos no ácido graxo melhora o raciocínio e a memória. Já outra pesquisa, conduzida pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que a gordura do bem pode reduzir em 42% as chances de desenvolver doenças nos olhos. 

Recomendação de consumo 
Para tirar proveito de todo bem que esses nadadores têm a oferecer, a recomendação de consumo é de duas a três vezes por semana. Embora tenham tantos benefícios e poucas calorias, é importante evitar peixes fritos e dar preferência aos assados, cozidos e grelhados. 

A sua saúde agradece.Cientistas norte-americanos indicam que o consumo de peixes grelhados ou cozidos, de uma a três vezes por semana, diminui em 27% os riscos de enfarte. 

Top cinco do Brasil 

Conheça os cinco peixes mais consumidos pelo brasileiro e seus benefícios á saúde. 

Atum: fonte de vitamina D, que fortalece os dentes e os ossos, e vitamina E, boa para a saúde da pele, unhas e cabelo. 

Bacalhau: fornece vitaminas A, B1, D e E. Tem fácil digestão e baixo teor calórico. Quando dessalgado, é uma excelente escolha em dietas de emagrecimento. 

Salmão: evita a cãibra por ser rico em potássio e também é ótima fonte em ômega-3 e vitamina A, que favorece a saúde dos olhos. 

Sardinha: tem alto teor de proteína magra, minerais, vitaminas A e D e pouca gordura. 

Truta: uma das melhores fontes de ômega-3. 

Frutos do mar 
Eles estão classificados em dois grupos principais: moluscos e crustáceos. O primeiro pode ter uma, duas ou nenhuma concha, como lulas, ostras, mexilhões, vieiras, mariscos e polvos. Já os crustáceos possuem uma casca dura e rígida e duas antenas, como lagostas, siris, caranguejos e camarões. 



A boa notícia é que eles podem estar aliados a uma alimentação saudável. "São fontes de proteínas e possuem quantidades razoáveis de gordura e pouco carboidrato", explica a nutricionista Gabriela Paschoal, da VP Consultoria Nutricional, de São Paulo. 

A especialista comenta que qualquer processo de cocção em fervura pode levar à perda parcial dos nutrientes, porém, ainda assim, são benéficos à saúde. "O cozimento a vapor é boa opção para aproveitar o valor nutricional dos frutos do mar", conclui. 

Na hora da compra 
Existem controvérsias com relação ao congelamento desses alimentos e a preservação dos nutrientes. Entretanto, essa é a maneira mais segura de armazenar e transportar os peixes e frutos do mar, tendo em vista que são altamente perecíveis. 

Falando nisso, é importante observar a procedência e a forma de armazenamento do estabelecimento em que fizer a compra. Por conterem alto teor de colesterol e estarem mais sujeitos à contaminação, os frutos do mar devem ser consumidos com menos frequência que os peixes. Uma vez a cada 15 dias é o suficiente. 

Os mais "queridos" do brasileiro 

Camarão: é o fruto do mar que contém maior quantidade de cálcio, mineral que ajuda na contração muscular e saúde dos ossos. 

Caranguejo: por ser rico em vitamina B3, o alimento é importante para o equilíbrio do sistema nervoso. Também combate manchas e doenças de pele, fadiga e irritabilidade. 

Lagosta: considerada um dos mais saborosos frutos do mar, é ótima fonte de vitamina B12, fósforo, potássio e zinco. 

Lula: possui boas quantidades de vitamina B2, que evita anemias. 

Mariscos: apesar de ter variedades, como berbigão, mexilhão e conquilhas, em geral os mariscos são pobres em gordura e colesterol. Além disso, são fontes de selênio e vitamina E. 

Polvo: rico em vitamina A, um importante antioxidante relacionado, principalmente, à saúde dos olhos e da pele. 

Siri: o que diferencia o siri do caranguejo é o último par de patas, que tem forma de nadadeiras, e a casca com espinhos nas laterais. O crustáceo é fonte de vitamina A, fósforo e potássio importantes para os músculos. 

Mas...e a alergia? 
No Brasil, ainda não existem números exatos de quantas pessoas sofrem de alergia de alguns alimentos. Porém, sabe-se que os frutos do mar são um dos maiores causadores do problema; as substâncias responsáveis ainda são um mistério, mas eles possuem, sim, um forte potencial alergênico, principalmente o camarão. 

A alergologista Yara Mello, do Hospital São Luiz, da capital paulista, explica que os sintomas de alergia aparecem quando o organismo passa a tratar a proteína do alimento como uma ameaça. 

"O corpo fica sensibilizado, cria anticorpos e manifesta reações alérgicas, que podem ser desde coceiras, lesões vermelhas na pele, inchaço na língua, falta de ar, aperto no peito e na garganta e dores abdominais", diz. 

Vale ressaltar também que, geralmente, o indivíduo já nasce com predisposição genética para tal sensibilização. Porém, essa manifestação pode ocorrer após vários contatos com o alimento. Outro fator importante é que nem sempre a ingestão é o motivo da alergia. 

"Muitas vezes, o organismo é tão sensível àquela substância que só de tocar ou inalar o cheiro do alimento a alergia pode se manifestar", conclui. Portanto, vá ao médico, faça os testes e consuma os frutos do mar e os peixes sem risco. 

Cuidado com a cozinha japonesa 
Não é por acaso que a gastronomia oriental é considerada uma das mais saudáveis do mundo. Os pratos à base de verduras, legumes, arroz, frutos do mar, peixes e algas valorizam o que os alimentos têm de melhor: as propriedades nutricionais. Isso porque a maioria dos ingredientes não passa por processos de cozimento, fritura ou fervura. 

E é exatamente por esse motivo que a cozinha japonesa também pode ser um perigo. "Peixes e frutos do mar se deterioram e são contaminados com facilidade se armazenados de forma incorreta", observa a nutricionista Robena Molinari. 

Nem por isso você deve abandonar os costumes da comida oriental, tão benéfica ao paladar e à saúde. É preciso apenas conhecer os restaurantes que frequenta para ter absoluta certeza de que os alimentos são manipulados e guardados corretamente. Observe também se os peixes e frutos do mar estão com a carne firme, de cor viva e sem cheiro forte - apenas com odor de maresia. 

Alimentos do mar e a gestação 
Alguns médicos orientam suas pacientes a abolirem a ingestão de peixes e frutos do mar durante a gravidez. "Isso porque os pescados possuem quantidades elevadas de mercúrio que pode ser tóxico, afetar o sistema nervoso e prejudicar o desenvolvimento do feto", alerta a nutricionista Gabriela Paschoal. 

Por outro lado, existem estudos que mostram que esses alimentos, quando ingeridos durante a gestação, favorecem a saúde dos bebês. Em todo caso, consumi-los requer atenção. Bacalhau, cavalinha, pescado e salmão são os mais indicados por terem menos mercúrio. 

"A grávida só deve ingerir os que tenham sido congelados ou, no caso dos frescos, que tenham sido bem cozidos", sugere a nutricionista funcional Robena Molinari. Portanto, neste período, peixes e frutos do mar crus, nem pensar! 



Relacionadas Para Você
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »