Vitamina D - Conheça tudo sobre a vitamina que vem do sol

Vitamina D - Conheça tudo sobre a vitamina que vem do sol
Vitamina D - Conheça tudo sobre a vitamina que vem do sol

Vitamina D, também conhecida como a vitamina do sol, você sabe a importância dela para nosso organismo?

Ter uma alimentação equilibrada e hábitos saudáveis são essenciais para a manutenção da saúde e prevenção de algumas doenças. Uma alimentação diversificada também é capaz de fornecer nutrientes importantes para o corpo, dentre elas a vitamina D.

Mas, você sabe o que é a vitamina D, para que serve? Quais os tipos e benefícios da vitamina D, alimentos fonte? Como evitar a falta de vitamina D, sintomas? Então, saiba mais:


A vitamina D é um micronutriente importante para o funcionamento adequado do corpo. Trata-se de uma vitamina lipossolúvel (que precisa de gordura para ser absorvida pelo corpo) que pode ser produzida pelo organismo através da exposição da pele aos raios solares, formando a pré-vitamina que no fígado é transformada em vitamina D. Sol é essencial para a produção dessa vitamina, mas ela também pode ser adquirida por meio da alimentação ou suplementação.

Vale lembrar que a exposição solar exagerada pode provocar o desenvolvimento de câncer de pele. Recomenda-se que para a produção de vitamina D cutânea a exposição solar deve ocorrer durante 5 a 30 minutos antes das 10 horas da manhã ou após as 15 horas da tarde, pelo menos duas vezes durante a semana.

A vitamina D é muito importante para que o organismo funcione de maneira adequada, já que está envolvida em diversos processos fisiológicos. Você deve estar se perguntando: para que serve vitamina D, certo?

Confira os benefícios da vitamina D para a saúde:




Saúde óssea: 
É responsável por regular a absorção de cálcio no organismo e fixar esse mineral nos ossos, sendo extremamente importante para a saúde desse tecido e prevenção de osteoporose.

Saúde cardiovascular: 
A deficiência de vitamina D pode estar relacionada com o aumento da incidência de problemas cardíacos, como enfarte, por exemplo.

Prevenção de doenças crônicas:
A vitamina D exerce um importante papel na prevenção e controle das doenças crônicas, como a hipertensão, pois melhora a função dos vasos sanguíneos, e diabetes, já que ajuda a manter os níveis de glicose no sangue e reduzir a resistência à insulina, sendo fundamental para reduzir o risco de desenvolvimento do diabetes tipo 2.

Gestação: 
Importante na gravidez, já que diminui o risco de aborto nos primeiros meses, além de ser fundamental para o desenvolvimento cerebral do bebê.

Sistema imunológico: 
A vitamina D regula a produção de células do sistema imunológico, por isso é essencial para o bom funcionamento do sistema e no combate à infecções.

Equilíbrio de minerais:
Participa da homeostase do cálcio e do fósforo, também importantes para a saúde óssea.



Prevenção de câncer: 
A vitamina D também pode estar envolvida na prevenção de alguns tipos de câncer.

Dor crônica: 
A vitamina D regula processos inflamatórios no organismo, além de contribuir para maior controle de dores crônicas, como dores nas costas ou dores generalizadas.

Existem basicamente dois tipos de Vitamina D, confira quais são:

Vitamina D3(colecalciferol): 
O organismo é capaz de produzi-la desde que nossa pele fique exposta aos raios ultravioleta. Esses raios são absorvidos e transformados em vitamina D3, e é essa forma conhecida como “vitamina do sol”. De acordo com estudo publicado na Revista de Nutrição sobre a biodisponibilidade de vitaminas lipossolúveis, entre elas a vitamina D, a síntese do colecalciferol pode sofrer alteração pelo maior volume de tecido adiposo.

Acredita-se que a retenção da vitamina D pode ser elevada em caso de obesidade, provavelmente pelo aumento das células de gordura. A conversão da vitamina D3 ainda pode ser limitada por conta da idade, pigmentação da pele e uso de protetor solar. A produção de vitamina D através da pele é extremamente eficiente e cerca de 30 minutos de exposição aos raios solares já é suficiente para exceder a vitamina D fornecida por fontes alimentares.

Vitamina D2 (ergocalciferol): 
Essa vitamina é de origem vegetal e encontrada em alguns alimentos, como cogumelos selvagens. Por ser pouco disponível nos alimentos, essa é a forma mais usada na formulação dos suplementos alimentares.



Apesar das duas formas das vitaminas D ajudarem a prevenir a deficiência e a carência desse nutriente, elas não são equivalentes, pois a vitamina D2 é menos eficiente quando comparada a vitamina D3, não sendo capaz de prevenir fraturas ósseas e outros tipos de doenças.

A fonte mais importante de vitamina D é a cutânea, em que ocorre a produção de vitamina D a partir da exposição da pele aos raios ultravioleta. 

Além dessa fonte, existem alguns alimentos com vitamina D como é o caso do fígado (de preferência orgânico), gema de ovo, leite integral e alguns peixes gordurosos, que apesar de não serem a principal fonte de vitamina D do nosso organismo podem contribuir para que as necessidades por esse micronutriente sejam supridas.

Os principais alimentos com vitamina D são de origem animal: arenque, salmão, sardinha e a gema do ovo são alguns exemplos. Algumas pessoas podem ter dúvida, mas não existem frutas com vitamina D. Com fontes alimentares restritas, não é tão simples atingir as recomendações diárias necessárias do nutriente, sendo recomendada a suplementação.

A suplementação de vitamina D é indicada quando houver carência ou deficiência e isso pode ser verificado através de um exame de sangue. A suplementação também é indicada para o tratamento de algumas doenças especificas, em idosos e em gestantes. Os suplementos de vitamina D podem ser encontrados na forma de gotas de vitamina D, comprimidos ou cápsulas de vitamina D, porém, seu consumo deve ser indicado por um médico ou nutricionista, que por sua vez irão estabelecer a quantidade certa para você.

Altos níveis da vitamina D no organismo podem causar calcificação de tecidos moles, como vasos sanguíneos, trazendo prejuízos a longo prazo, além disso a vitamina D é contraindicada para pessoas com hipercalcêmica, insuficiência renal ou cálculos renais.
Por isso, é recomendado fazer um acompanhamento com médico ou nutricionista para avaliar por meio de exames a necessidade do suplemento e a dosagem recomendada. 

A falta de vitamina D no organismo pode ser provocada por diversos fatores, como a baixa exposição solar, pelo consumo insuficiente de alimentos fontes de vitamina D ou por problemas na produção da vitamina pelo nosso organismo, resultando na vitamina D baixa.

A carência de vitamina D está associada ao desenvolvimento de diversas doenças, como:

Raquitismo e problemas ósseos: 
O raquitismo é uma doença muito comum na infância, que ocorre pela falta de fosfato de cálcio na matriz óssea. Nos adultos, a carência de vitamina D pode causar osteoporose e osteomalácia (amolecimento dos ossos).

Doença cardiovascular: 
Geralmente é causada por processo inflamatório. Como a vitamina D está associada à modulação da função imunológica, sua carência pode favorecer as doenças do coração.

Diabetes: 
A vitamina D pode estar relacionada às alterações na glicemia e na sensibilidade à insulina.

Câncer: 
A falta de vitamina D pode estar relacionada ao desenvolvimento de alguns tipos de cânceres em células que apresentam receptores de calcitriol (formativa da vitamina D) e que estão relacionadas ao equilíbrio do cálcio.

Além disso, a ingestão de bebidas alcoólicas e fibras pode reduzir a biodisponibilidade dessa vitamina, diminuindo a quantidade de vitamina D disponível para ser utilizada pelo nosso organismo. 


** Conheçam também nossa página no facebook!




Fonte: Natue



Relacionadas Para Você
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »