Pressão Baixa - Saiba mais sobre a hipotensão

aliados da saúde
Pressão Baixa - Saiba mais sobre a hipotensão

Saiba mais sobre hipotensão, popularmente conhecida como pressão baixa!

Tontura, visão turva, dor de cabeça, sudorese fria, sonolência, fraqueza e até desmaio são alguns sintomas da hipotensão, a popular “pressão baixa”.

Ao contrário da hi­­pertensão, que pode levar a consequências sérias como o infarto, raramente as pessoas com pressão menor do que 12 por 8 têm alguma doença séria associada. Em geral, os episódios estão ligados a fatores ambientais, como calor excessivo ou falta de hidratação.


A pressão baixa não é considerada uma doença em si, mas pode estar relacionada com doenças graves como infarto do miocárdio, embolia pulmonar, diabetes, doença de Addison e a síndrome de Shy-Drager, por exemplo.

De acordo com os critérios internacionais estabelecidos, os valores de referência desejáveis da pressão arterial estão ao redor de120mmHg x 80mmHg, ou 12cm x 8cm. Considera-se que uma pessoa está com pressão baixa, ou hipotensão arterial, quando esses níveis são menores do que 90mmHg X 60mmHg. É preciso ressalvar, porém, que pessoas saudáveis podem ter níveis assim baixos sem manifestar os sinais negativos da hipotensão arterial.

Causas
Uma das causas mais frequentes de diminuição da pressão arterial é denominada de hipotensão postural, que acontece quando as pessoas, ao mudarem subitamente a posição do corpo, sentem tonturas ou a visão turva, sensação que passa em alguns segundos. É o que ocorre quando alguém, depois de estar durante muito tempo agachado, ao levantar-se subitamente, sente-te tonto e a visão embaralhada, chegando a oscilar o corpo ou mesmo a cair. Todavia, isso nem sempre significa doença, e acontece principalmente em pessoas não condicionadas fisicamente.

Pessoas desidratadas, como as que recebem altas doses de diuréticos, também podem apresentar quedas de pressão ao mudarem subitamente de uma posição para outra.

As baixas de pressão arterial são também uma manifestação freqüente em pessoas convalescendo de doenças ou que permaneceram por muitos dias acamadas. Nestes casos, a freqüência cardíaca costuma subir de 15 ou mais batimentos por minuto devido à diminuição da pressão arterial.

Pessoas que recebem certos medicamentos para baixar a pressão arterial, ou portadores de doenças neurológicas, endócrinas, como diabetes,também podem apresentar queda de pressão, ao passarem da posição deitada, ou sentada, para ficarem de pé. Nestas situações, a queda de pressão provoca nenhuma ou apenas uma discreta elevação da freqüência dos batimentos do coração.

Sintomas
* Tonturas, vertigens ou desmaio
* Batimento cardíaco rápido ou irregular
* Náuseas e vômitos
* Sentir mais sede do que o habitual
* Visão embaçada
* Fraqueza
* Confusão
* Cansaço
* Pele fria e pegajosa
* Respiração ofegante
* Fezes negras
* Febre.


Diagnóstico
Os especialistas que podem diagnosticar pressão baixa são o Clínico geral e o Cardiologista. Ao procurar um médico, vá preparado para a consulta para facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

* Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
* Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
* Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O exame clínico e o levantamento da história do paciente são dados importantes para o diagnóstico da hipotensão, mas testes de laboratório podem fazer-se necessários para respaldar o diagnóstico. Em alguns casos, é necessário pedir um exame chamado MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial). Outros exames complementares que podem ser solicitados:

* Eletrocardiograma (ECG)
* Ecocardiograma
* Teste de esforço
* Manobra de Valsalva
* Teste de inclinação

Tratamento
O tratamento da hipotensão arterial é determinado pelas características, gravidade e causas dos sintomas. Na ausência deles, em geral as pessoas saudáveis com pressão baixa não necessitam de nenhum tipo de intervenção terapêutica. No entanto, quando a hipotensão é determinada por uma doença de base, o objetivo do tratamento deve ser reverter, atenuar ou corrigir esse distúrbio.

Nos casos de queda brusca de pressão arterial, as seguintes medidas podem ajudar a controlar a crise: a pessoa deve deitar-se numa posição confortável e, se possível, com os pés mais elevados do que o coração e a cabeça; deve também ingerir bastante líquido, mas em pequenos goles e dar preferência a sucos de frutas, se estiver em jejum há muito tempo.

No entanto, se os sintomas persistirem por mais de 15 minutos, a pessoa deve ser encaminhada para atendimento médico de urgência sem demora.

Recomendações
* Levante-se com cuidado. Se estiver deitado/a, sente-se primeiro na cama e permaneça nessa posição por alguns minutos antes de ficar em pé;
* Beba bastante líquido para evitar a desidratação e a hipovolemia;
* Verifique se os medicamentos que está usando têm algum tipo de ação sobre pressão arterial;
* Pratique exercícios físicos regularmente: eles têm ação benéfica sobre a circulação sanguínea e a pressão arterial;
* Evite permanecer por longos períodos em ambientes muito quentes e úmidos;
* Procure um médico para avaliação clínica, se as crises de hipotensão se repetirem. A pressão baixa pode ser sinal de algumas doenças, que precisam ser investigadas e tratadas.

Fonte: Revista Seleções



Relacionadas Para Você
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »