Comer mais proteínas no café da manhã ajuda a emagrecer


Se você pensou que esta era uma refeição para a hora do almoço, errou. Este prato - composto por feijão, ovos, bacon, linguiça, tomate - é um tradicional café da manhã britânico e, talvez, o grande responsável por sua população ter uma média de peso mais baixa que a brasileira ou norte-americana.

Quem comprovou isto foram vários estudos apontando que refeições matinais ricas em proteínas ajudam a emagrecer.

O primeiro estudo a comprovar a tese foi feito por cientistas europeus com 15 homens, em 2006. Parte do grupo ingeriu refeições altamente proteicas pela manhã (com 58,1% da energia vindos de proteínas, e 14,1%, de carboidratos) e outro grupo alimentos mais calóricos (19,3% vindos de proteínas, e 47,3%, de carboidratos).

Não só o sangue de cada um foi analisado, como o nível de saciedade foi testado várias vezes num período de três horas logo após a ingestão para descobrir quanto tempo levava até que o sujeito tivesse fome novamente.

Aprenda a cuidar melhor da sua saúde - curso online de nutrição - conheça aqui e comece já!  Contra a recessão, invista na sua educação.

A conclusão foi que o café da manhã proteico reduziu as concentrações que eram liberadas no decorrer do dia de grelina, um hormônio que causa fome. Além disso, reduziu o ritmo de esvaziamento gástrico. Ao retardá-lo, a fome era inibida.

O segundo estudo foi realizado pelos norte-americanos em 2014. Dividiram 20 jovens em três grupos: um pula o café da manhã, um come alimentos dos quais 15% da energia vêm da proteína, outro ingere refeições proteicas, com 40% oriundos dela durante uma semana.

No sétimo dia, concluíram que a ingestão de mais proteínas reduz muito a vontade de comer alimentos salgados e doces durante o dia. Além disso, aumenta o nível de ácido homovanílico, que libera dopamina no cérebro. A dopamina é a recompensa que o cérebro dá ao corpo quando comemos. Resumindo: proteínas fazem o cérebro se sentir recompensado mais rápido e por mais tempo.

Embora em qualquer dieta alimentar, o espaçamento das refeições não pode ser muito longo, os estudos comprovaram que o consumo de proteína pode fazer você comer em menor quantidade, já que seu organismo não está tão sedendo por comida na refeição seguinte.

Fonte: MSN - saude e bem- estar


Topo