Gastrite - Úlcera - Depressão - Erva de São João: um santo remédio


Erva de São João: um santo remédio


Erva de São João: um santo remédio contra gastrite

Já se sentiu à beira de um ataque de nervos? E Gastrite, úlcera... Da próxima vez, sinta antes os efeitos da Erva-de-São-João e deixe a ansiedade de lado.

Já na Idade Média, a Erva-de-São-João era utilizada no tratamento de problemas nervosos, devido aos seus alegados poderes mágicos que, acreditava-se, repeliam o mal.

Caiu em desuso durante o século XIX, mas atualmente é uma das plantas mais indicadas para tratar distúrbios nervosos, principalmente a depressão. 



A Erva-de-São-João, também conhecida como hipericão, cresce em toda a Europa (à exceção da Islândia), na Ásia e no Norte de África. Da planta, aproveitam-se as partes aéreas floridas, que são depois cuidadosamente secas, de forma a preservar os seus componentes. E são muitos. Destaca-se a hipericina, o composto principal, mas também os flavonoides, hiperforina, óleo essencial, taninos, fitosteróis, entre outros.

Como atua?
A hipericina (o principal composto) possui atividade anti-microbiana e anti-cancerígena,  além de um efeito antidepressivo. A hiperforina tem também uma ação antidepressiva, mas por um mecanismo fisiológico diferente. 
Outros componentes, como os taninos e o óleo essencial, conferem à planta uma atividade anti-séptica e cicatrizante. Os flavonoides têm um efeito anti-inflamatório e vaso-protetor capilar. O conjunto de todos estes componentes e respectivas atividades fazem desta planta, pela via interna, uma ótima ajuda nos casos de depressão moderada, ansiedade, distúrbios do sono em idosos e agitação.

Recomendada para…
A Comissão E aprovou a utilização da Erva-de-São-João em perturbações psicovegetativas, depressões, ansiedade e dispepsia, e um estudo da prestigiada Charité-Universitätsmedizin Berlin, na Alemanha, concluiu que a erva é tão eficaz a combater uma depressão como os antidepressivos habitualmente prescritos.
A equipe realizou testes em 301 homens e mulheres e observou, pela primeira vez, que a planta é eficaz mesmo em casos de depressão grave. 
Externamente, o óleo de hipericão é um bom cicatrizante de feridas, queimaduras, contusões, eczemas e outras afecções cutâneas.

Contra-indicações
Está contra-indicada na gravidez e a sua utilização é também incompatível com plantas e alimentos, como o queijo, que contenham tiramina, uma vez que a associação entre eles pode produzir uma subida da pressão arterial. A metabolização da planta pode interferir com a metabolização de alguns medicamentos, portanto o esclarecimento do técnico de saúde é sempre a melhor opção.

As doses não terapêuticas podem provocar fotossensibilização (devido à hipericina), levando ao aparecimento de eritemas (vermelhidão da pele) e queimaduras. Por este motivo, é conveniente evitar a exposição solar durante o período de utilização, e ter sempre em atenção a toma das dosagens recomendadas.

Dosagens e Soluções com Erva-de-São-João
Em chás, cápsulas, comprimidos ou outro gênero de apresentações, a Erva-de-São-João está muito divulgada no nosso mercado. Aconselha-se 2 g como dose diária.

A infusão pode ser preparada com 1 g de planta por xícara, sendo aconselhável 2 a 3 xícaras por dia, e o óleo vegetal é obtido por maceração de hipericão a 30%. As tinturas ou os extratos fluidos são outras formas de utilização por via externa.

Fonte: medicinasnaturais

Topo