Shake de banana e cacau - Fonte de energia e vitaminas

Shake de banana e cacau - Fonte de energia e vitaminas
www.aliadosdasaude.com.br
Shake de banana e cacau - Fonte de energia e vitaminas

Aprenda uma receita de shake de banana, cacau e linhaça, que além de deliciosa é rica em fibras e vitaminas e tem só 300kcal 

E o melhor de tudo, não tem mistério. Basta bater os ingredientes no liquidificador. Você terá um shake funcional que pode ser usado como substituição para o café da manhã e também pré-treino.

Que milk-shake é uma delícia, pouca gente deve discordar. Só que além da gordura do sorvete e da lactose, a bebida tem muitas calorias e está longe de ser saudável. Mas sabia que dá para fazer uma versão gostosa e nutritiva com fruta, água e ainda sabor de chocolate?


São apenas cinco ingredientes: banana, cacau em pó, linhaça, água e melado.

A peça-chave é a banana. São duas. Elas devem ser cortadas e congeladas. Quanto mais maduras, mais doces ficam. Neste caso, o uso de melado ou mel para adoçar pode ser desnecessário, o que reduzia ainda mais as 300 quilocalorias (kcal) da bebida.

O shake é excelente fonte de energia, carboidratos, fibras, vitaminas, minerais e compostos fenólicos.

A banana é fonte fibras solúveis importante para regularização do trânsito intestinal, vitamina C, vitaminas do complexo B, vitamina A e potássio - avalia a nutricionista Cristiane Perroni.

A linhaça deve ser deixada de molho para hidratar por cerca de 15 minutos antes de ir ao liquidificador. Cris Perroni também destacou a importância da semente, que tem poder anticancerígeno.

- A linhaça é uma das principais fontes de lignanas, fibras que são excelente fonte de ômega 3 do reino vegetal, rica em vitamina E e vitaminas do complexo B. As lignanas são compostos fenólicos que possuem ação quimioprotetora, antioxidantes, ação anticancerígena prevenindo câncer de mama, câncer de cólon e doenças cardiovasculares.

O cacau é o toque especial do shake. É ele que dá cara de milk-shake de chocolate ao preparado de banana, e, além do sabor, ainda tem poder de liberar endorfina para o cérebro.

- O cacau é rico em flavonóides, (catequinas e epicatequinas), taninos (procianidinas); metilxantina (pseudoalcalóides) e teobromina (derivada das xantinas), substâncias com efeito estimulante semelhante ao da cafeína, e feniletilamina, considerado um antidepressivo natural que libera endorfina no cérebro e é responsável pelo sentimento de bem-estar e prazer - explicou a nutricionista.

A Nutricionista observa ainda que se for preciso adoçar, deve-se dar preferência ao melado, que é uma forma líquida extraída diretamente da cana e é rico em cálcio, ferro, magnésio, potássio, cobre e zinco. Além disso, o melado, diferentemente do mel, pode ser levado ao fogo sem perder suas propriedades.

Fonte: Site EuAtleta.com


Leia Mais »

A Pascoa e o consumo de Peixes - Benefícios do Peixe a nossa saúde

A Pascoa e o consumo de Peixes - Benefícios do Peixe a nossa saúde
A Pascoa e o consumo de Peixes - Benefícios do Peixe a nossa saúde

A palavra “Páscoa” vem do hebreu “Pesach”, que significa passagem. 

Entre os cristãos, a data é muito importante porque marca a ressurreição de Jesus Cristo. 

Para a Igreja Cristã, a Páscoa representa o sacrifício de Jesus para salvar a humanidade. Um gesto de amor, doação e esperança. Entre os judeus, a data simboliza a libertação.

A semana que antecede a páscoa é conhecida como Semana Santa, que tem início no Domingo de Ramos e segue até o dia em que o filho de Deus volta a unir a alma ao seu corpo após a morte. Nas civilizações antigas, ela marca o fim dos tempos difíceis e o início de um novo começo.



Portanto, as mensagens de páscoa falam de renovação, felicidade, salvação, amor ao próximo, paz, gratidão, compaixão e harmonia.

É um dia muito especial onde os cristãos fazem oração e festejam comendo peixe e chocolate.

E por falar em peixe, você está ciente do quanto é bom comer peixe?

Peixe goza de grande popularidade em todas as cozinhas e culturas.

Incluindo peixes em sua dieta pode aliviar dores nas articulações e dar-lhe a pele brilhante também!

Por que o peixe é uma boa comida? Peixes (principalmente os tipos oleosos) são uma fonte rica de dois tipos de ácidos gordos insaturados, EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosaexaenoico). EPA e DHA contêm ácidos graxos ômega-3 importantes.

É também um baixo teor de mineral gordura proteína e minas, que são grandes para a nossa saúde.

O que é interessante é o fato de que o nosso corpo não produz ácidos Omega-3 e Omega-6 gordos. O peixe é a melhor fonte de ácidos graxos ômega-3.  

Vamos conhecer os Onze Benefícios do peixe a nossa saúde:

www.aliadosdasaude.com.br


1. Ajuda a emagrecer

Peixe tem boa energia, sacia a fome, não é calórico e promove disposição física, são muitos os benefícios do peixe e tudo isso junto faz do peixe um top alimento para emagrecer ou manter peso e a saúde.

O resultado vai depender da sua dedicação a dieta do peixe e aos alimentos naturais que acompanham a dieta.

Quanto quilos você perde e quanto tempo leva depende de cada individuo, porque o corpo reage a perda de peso diferente para cada pessoa, vários fatores influenciam como: peso, idade, sexo, condições de saúde e o mais importante a dedicação investida.

2. Aumento da energia

O ácido graxo ômega-3 no peixe estimula a produção de energia em nosso corpo para realizar processos químicos.
Assim, uma dieta rica em peixes ajuda na luta contra a fadiga e o aumento da capacidade física e mental.

3. Protege o cérebro

Muitos estudos mostram os efeitos positivos dos ácidos graxos ômega-3 em função de cérebro e os nervos.

Também protege mielina, um material que envolve as células nervosas.

Há também uma evidência considerável sugere que Omega-3 aumenta a capacidade de concentração. Isso explica porque a nossa avó disse, "peixe é bom para o cérebro" e nos obrigou a consumir cápsulas de óleo de peixe. 

4. Auxiliar no desenvolvimento do feto

Omega-3 os ácidos gordos estimulam o desenvolvimento cerebral em bebês. Já existe uma quantidade considerável de pesquisas que provam, sem sombra de dúvida de que o ácido graxo ômega-3 é de valor inestimável para o desenvolvimento do feto no útero. 

5. Ajuda a prevenir a artrite reumatoide

Devido à artrite reumatoide articulações do nosso corpo desgastam, resultando em lesões ósseas irreparáveis.

Um estudo científico mostra que uma dieta rica em ácidos graxos ômega-3 previne este tipo de artrite.

Óleo de peixe reduz o desconforto nas articulações inchadas e sensíveis também. 

6. Ajuda a prevenir o Mal de Alzheimer

O ácido graxo ômega-3 em peixes previne danos às células do cérebro.

A pesquisa mostra que os benefícios do consumo de peixe, reduzindo o risco de hipertensão ou pressão arterial elevada, o que leva à demência.

Omega-3 ácidos graxos é um dos melhores alimentos de peixe para a prevenção da doença de Alzheimer, uma doença cerebral que causa perda de memória e prejudica o dia-a-dia. 


7. Fortalece o sistema imunológico

Omega-3 os ácidos graxos ajudam prevenir a infecção devido aos seus anti-inflamatórios e imune estimulantes. Omega-3 é útil na prevenção de artrite reumatoide, osteoartrite, e colite ulcerosa.

Também pode impedir o lúpus eritematoso, uma doença autoimune que pode causar danos nos órgãos de forma irreversível e é potencialmente fatal. 

8. Anticancerígeno

Peixes, especialmente carne de caranguejo e lagosta, contém selênio, que possui propriedades anticancerosas. 


O ácido graxo ômega-3 em peixes está a aumentar os níveis de serotonina, uma substância química encontrada no cérebro. 

10. Segredo da pele radiante

Salmão é particularmente bom para a luta contra as rugas, pois contém níveis elevados de ômega-3 ácidos graxos.

O óleo de peixe também é bom para o tratamento de queimaduras, pela mesma razão.

Agora que você sabe os benefícios de saúde de comer peixes não se esqueça de incluir em seus planos de refeição da família.

Comer cinco porções de peixe por semana é ótimo.

Os melhores peixes para obter o máximo de benefícios de saúde é a sardinha, o salmão e a cavala, que têm maiores concentrações de ácidos graxos ômega-3. 

11. Promove um coração saudável

O que torna o peixe um alimento saudável é que é rico em ácidos graxos ômega-3.

O consumo de peixe reduz o risco de doença cardíaca, a principal causa de morte em todo o mundo.

O ácido graxo ômega-3 em peixes protege contra a doença cardiovascular através da redução da pressão sanguínea, colesterol e triglicérides no sangue.

Omega-3 também é muito bom para a saúde do coração, pois reduz a coagulação do sangue, impedindo que as plaquetas se colem umas às outras.

Espessamento do sangue pode levar ao estreitamento das artérias, que por sua vez faz com acidente vascular cerebral, ataques cardíacos, etc.

Peixes gordos como o salmão, sardinha e arenque são ricas fontes de ácidos graxos ômega-3.

Esta gordura também pode ajudar a baixar a pressão arterial, frequência cardíaca e reduzir os fatores de risco que levam a complicações cardíacas.

Em colaboração com a Prof. Rosi Feliciano


Leia Mais »

Exercício Físico - Apenas uma vez na semana já reduz em 30% risco de morte

Exercício Físico - Apenas uma vez na semana já reduz em 30% risco de morte
Benefícios da Atividade Física

Um novo e amplo estudo comprova que quem se exercita apenas uma ou duas vezes a cada sete dias alcança quase tantos benefícios quanto quem faz o mesmo volume de esforço, em várias sessões na semana.

O recado é claro: movimentar o corpo, ainda que uma vez na semana, já reduz significativamente os problemas de saúde.

As pessoas que reservam apenas o fim de semana para fazer atividades físicas podem comemorar. Se comparados aos totalmente sedentários, esses dois perfis de indivíduos conseguem praticamente a mesma taxa de redução de risco de morte, indica a pesquisa publicada no “JAMA Internal Medicine”, periódico da Associação Médica Americana.

"Milhões de pessoas gostam de fazer esporte uma ou duas vezes por semana, mas elas podem estar preocupadas de não estarem fazendo o suficiente", comentou Gary O’Donovan, pesquisador de atividade física da Universidade de Loughborough, no Reino Unido, e autor do estudo. "Mas agora encontramos um benefício claro. O exercício somente uma ou duas vezes na semana é capaz de deixar as pessoas saudáveis."
O estudo analisou dados de mais de 60 mil adultos de meia idade entre 1994 e 2012. Neste período, quase 9 mil deles morreram, por diferentes razões. Ao longo da pesquisa, os participantes seguiram a recomendação mínima dos órgãos internacionais de saúde: 150 minutos semanais de atividade física moderada ou 75 minutos de atividade intensa. Eles variaram apenas a frequência com que realizavam os exercícios.

Os pesquisadores chegaram à conclusão de que, enquanto aqueles que se exercitaram várias vezes ao longo da semana tiveram uma redução de 35% no risco de morte, os participantes que fizeram apenas uma ou duas sessões alcançaram redução de 30%. O índice é sempre estimado em relação ao risco apresentado por quem é completamente sedentário.

A probabilidade de morrer especificamente por doença cardiovascular foi ainda mais parecida: um risco 41% menor para quem se exercitou mais vezes, e 40% menor para os “guerreiros de fim de semana”, como define o estudo. Já a redução no risco de morte por câncer foi de 21% para quem fez atividades com frequência, e 18% para adeptos de exercícios intensos uma ou duas vezes por semana.

Mas o estudo também mostra que as pessoas que conseguiram aumentar a duração e a intensidade de suas atividades afastam ainda mais o risco de morte. Portanto, não se pode achar que 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de intensa são o ideal, adverte um dos maiores especialistas do Brasil em medicina do exercício, o professor e cardiologista Claudio Gil Araújo, da UFRJ.

"Isto é o mínimo recomendado, e o que este novo estudo traz é a confirmação de que, mesmo que essa carga de atividade seja realizada em apenas um dia, os benefícios já são relevantes. No entanto, a quantidade ótima de exercício para um adulto de cerca de 40 anos é de duas a três vezes essa dose mínima, o que daria pelo menos duas horas e meia de atividade intensa ou cinco horas de atividade moderada por semana", explica o especialista.
Alguns médicos defendem que praticar atividades físicas somente aos fins de semana pode provocar um estresse oxidativo das células, trazendo prejuízos para o organismo, mas, segundo Claudio Gil, a teoria nunca foi comprovada. Nem cientificamente, nem na prática clínica.

"O que temos visto é que qualquer exercício, mesmo que longe do ideal, é melhor do que nada. A pior opção que uma pessoa pode fazer para a vida é ser sedentária", pondera ele.

O médico ressalta que a intensidade do exercício é mais importante do que a frequência. Então, é preferível levar menos tempo na atividade, mas fazê-la de modo intenso — como um spinning ou uma corrida rápida —, do que realizar uma atividade demorada, mas leve. Isto já foi analisado ao longo de um estudo publicado ano passado na revista “PLoS One”, mostrando que um minuto de exercício vigoroso pode ter o mesmo efeito de até 45 minutos de atividades moderadas.

"Exercícios intensos proporcionam benefícios específicos para a glicose e o colesterol. Se compararmos duas pessoas que perdem a mesma quantidade de calorias por semana, mas fazem exercícios de intensidade diferente, aquela que se exercita de forma mais intensa sem dúvidas estará com o organismo mais equilibrado", exemplifica Claudio Gil. "Mas temos que lembrar que, na realidade brasileira, com o calor que está fazendo neste verão, por exemplo, praticar atividades apenas no final de semana sob o Sol do meio-dia não é a melhor opção."

Para aqueles que incluíram a prática de exercícios físicos nas resoluções de ano novo, o autor da nova pesquisa recomenda começar com atividades moderadas, como uma caminhada rápida, para, a partir daí, estabelecer metas cada vez mais exigentes. Ele ressalta que é preciso ser realista para não correr risco de lesões.

"Uma pessoa de meia idade ou idosa deve fazer até 12 semanas de exercício moderado antes de introduzir qualquer exercício vigoroso", aconselha O’Donovan.

Fontes: Site EuAtleta - Academia Sporlife


Leia Mais »

Dia Mundial da Saúde - Sucos para fortalecer sua saúde

Dia Mundial da Saúde - Sucos para fortalecer sua saúde
7 de Abril - Dia Mundial da Saúde - Sucos para fortalecer sua saúde

Neste 7 de Abril, data em que se comemora o Dia Mundial da Saúde, segue receita de sucos para manter sua saúde em dia!

As vantagens de complementar o cardápio de rotina com sucos vão além da praticidade e do sabor agradável. Desde que preparados a partir de alimentos naturais, oferecem, em um único copo, nutrientes que você só teria em uma refeição completa.

Sucos preparados com frutas, hortaliças ou legumes fornecem substâncias funcionais ao organismo.
Aliados a uma dieta equilibrada, dependendo dos ingredientes e suas combinações, combatem problemas específicos e ajudam a prevenir doenças”, diz a nutricionista Greice Caroline Baggio.


As receitas a seguir foram elaboradas pela especialista e podem colaborar bastante para a boa saúde. Para prepará-las, bata todos os ingredientes indicados no liquidificador e adoce a gosto, mas com opções naturais e moderação, ok? E lembre-se, antes de tudo, a água é a fonte da vida!

Ingredientes:

* 1 laranja sem casca e sem sementes
* 1 colher (sopa) de linhaça
* 1 colher (sopa) de aveia em flocos finos
* 1 copo grande (250ml) de água

A nutricionista explica: “As fibras solúveis encontradas nas frutas cítricas, maçã e aveia retardam a absorção de gorduras e glicose durante a digestão, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares. A maçã, rica em quercetina, ainda evita a formação dos coágulos sanguíneos e a linhaça, por conta do ômega 3, funciona como um potente antioxidante e anti-inflamatório”.

Ingredientes:

* 1 fatia de mamão formosa
* 1 laranja sem casca e sem sementes
* 1 ameixa-preta sem caroço
* 1 colher (sopa) de linhaça dourada
 * 1 pedaço de gengibre
* 1 copo grande (250ml) de água

A nutricionista explica: “As fibras atuam como uma espécie de esponja e, junto com a água, tornam as fezes mais volumosas, o que estimula e acelera o trânsito intestinal”.


Suco adeus estresse

Ingredientes:

* 1 copo grande (250ml) de bebida à base de soja
* 5 morangos
* 1 banana
* 1 colher (sopa) de nozes ou castanhas picadas

A nutricionista explica: “O triptofano é um aminoácido essencial precursor da serotonina, que atua no sistema nervoso central e transmite sensação de prazer e bem-estar ao corpo. Alimentos de origem vegetal como soja, castanhas, nozes, banana, laranja e abacate são ricos na substância”.

Suco xô anemia

Ingredientes:

* 2 folhas de couve picadas
* 2 laranjas sem casca e sem sementes
* 1 fatia média de abacaxi sem casca
* 1 copo grande (250ml) de água

A nutricionista explica: “As folhas de couve são ricas em cálcio, fósforo e ferro, minerais importantes para a formação das células do sangue. A laranja, assim como o abacaxi, contém vitamina C, indispensável à boa absorção do ferro pelo organismo”.

Suco contra diarreia

Ingredientes:
-1 fatia de melancia
-Folhas de capim-cidreira
-1 colher (sopa) de linhaça dourada
-1 colher (sopa) de gérmen de trigo
-1 copo (250ml) de água mineral

A nutricionista explica: “Em casos de diarreia, a hidratação é fundamental. Como a água por si só não repõe os nutrientes necessários para a recuperação do organismo, o suco pode ser uma boa opção. A melancia é composta por grande quantidade de água e fornece vitaminas A, C, potássio e outros minerais. O capim-cidreira tem propriedade calmante e não irrita a mucosa intestinal”.


Leia Mais »

Feijão com Arroz - Nossa comida típica é uma combinação completa

Feijão com Arroz - Nossa comida típica é uma combinação completa
Feijão com Arroz - Nossa comida típica é uma combinação completa
Feijão com Arroz - Nossa comida típica é uma combinação completa

Feijão com arroz, o prato mais típico do Brasil é também um dos mais saudáveis.

Quando você pensa em comida típica brasileira, lembra logo de quê? Provavelmente, do tradicional feijão com arroz. Só no ano passado, a população do país consumiu 3,5 milhões de toneladas de feijão e 8,7 milhões de toneladas de arroz.

A receita remonta ao tempo dos índios, depois dos escravos e permanece em alta até hoje. Do ponto de vista nutricional, a combinação é completa e traz mais benefícios à saúde junta do que separada. Isso porque, quando a pessoa consome uma leguminosa como o feijão com um cereal, no caso o arroz, o organismo consegue fazer a digestão de todas as vitaminas e proteínas vegetais.


O arroz é rico em uma proteína chamada lisina, enquanto o feijão contém muita metionina. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), um prato de arroz com feijão garante a absorção de mais de 80% dessas proteínas. Além disso, o arroz oferece carboidratos, vitaminas e minerais, segundo o endocrinologista Alfredo Halpern e a nutricionista Sônia Tucunduva.

O Ministério da Saúde sugere o seguinte consumo: uma parte de feijão para duas de arroz. Já a feijoada, com a inclusão de embutidos como linguiça, joelho e outras partes do porco, torna o prato pouco saudável.

Benefícios do arroz
- É rico em vitaminas do complexo B
- Reduz o colesterol ruim
- Tem menos de 1% de gordura
- Faz bem ao coração e a outros músculos
- Melhora a pele, o sistema nervoso e o aparelho digestivo
- Contribui para o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas
- É bom para os olhos

Benefícios do feijão
- É fonte de vitaminas B1, B2, B3 e B9
- É rico em proteínas e minerais (potássio, ferro, fósforo, cálcio, cobre, zinco e magnésio)
- Faz bem para o intestino
- Melhora o sistema nervoso
- Ajuda a crescer

Tipos de arroz
A dupla preferida dos brasileiros no dia a dia é o arroz polido, popularmente conhecido como branco, e o feijão carioca, com tom marrom claro e grãos menores.

O arroz branco perde vitaminas e minerais depois de descascado. Já o parboilizado, quando ainda está na casca, passa por um processo, sem agentes químicos, em que é imerso em água aquecida sob pressão e exposto ao vapor e à secagem. Desse procedimento, resulta um grão com mais nutrientes em relação ao arroz polido.

O arroz integral, por sua vez, não passa pela etapa de polimento, apenas a casca é retirada. Daí vem sua coloração mais escura, o gosto mais acentuado e a textura mais dura após o cozimento. O arroz integral é mais nutritivo que o tradicional, porque retém grande parte dos nutrientes que são eliminados no processo de polimento.

O arroz preto, cultivado na China há mais de 4 mil anos, é o mais rico em compostos benéficos à saúde, pois tem poder antioxidante, que previne o envelhecimento precoce. Contém 20% mais proteína e 30% mais fibra em relação ao arroz integral. Também tem menos gorduras e calorias.

Tipos de feijão
O feijão comum fornece, em cada 100 g, cerca de 350 calorias e até 24 gramas de proteínas. Diversas formas são cultivadas no mundo, mas poucos povos souberam tirar tanto proveito desse alimento como o brasileiro. A iguaria está presente na culinária de todos os estados, principalmente com o arroz, mas também com carnes, na forma de feijoada, sopas, caldos, baião de dois, acarajé, feijão tropeiro, dobradinha, salada, guisado, ensopado e tutu à mineira.

Feijão é o nome genérico para um grande grupo de plantas da família das leguminosas (Fabaceae), que tem como característica marcante a ocorrência do fruto do tipo legume, também conhecido como vagem. Nenhum feijão é melhor que outro e todos contêm ferro em proporções muito parecidas.

O feijão carioca é rico em proteína, zinco, ferro e cálcio, entre outros minerais. Tem esse nome porque suas listras lembram o calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro.

O feijão branco tem grãos grandes e, em sua composição, apresenta amido resistente, ideal para queimar gorduras.

Já o preto ajuda a controlar o colesterol e a hipertensão arterial. É bastante consumido na Região Sul, no Espírito Santo e no Rio.

O feijão de corda, também conhecido como feijão-caupi ou fradinho, é fonte de proteína e energia, razão pela qual faz parte da dieta alimentar da população de muitos países subdesenvolvidos. O Brasil está entre os maiores produtores e consumidores mundiais.

Dicas

1 - Coma arroz e feijão diariamente:
Não há problema em consumi-lo no almoço e no jantar, mas preste atenção ao tamanho da porção. A fibra do arroz e a do feijão reduzem o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e obesidade, além de contribuir para um melhor funcionamento do intestino.

2 - Não precisa lavar o arroz antes do cozimento: 
Esse trabalho é dispensável, já que o alimento será cozido. Também é importante lembrar que o arroz não é um prato principal, mas um complemento.

3 - Deixe o feijão de molho: 
Antes de prepará-lo, deixe-o de molho para reduzir o tempo de cozimento e os compostos (taninos, fitatos e oligossacarídeos) que diminuem a capacidade de digestão de certos alimentos e causam gases intestinais. Jogue a água do feijão fora e lave-o novamente.

4 - Para os fãs de feijoada, substitua a carne de porco pela carne seca magra: 
Dessa forma, você vai evitar o excesso de gordura do alimento, sem perder o sabor.

Fontes: G1 / Bem Estar / Ministério da Saúde


Leia Mais »

Benefícios da casca da maçã para nossa saúde

Benefícios da casca da maçã para nossa saúde

A maçã é fonte de antioxidantes, vitaminas e minerais que ajudam a manter a pele, dentes, e um cérebro saudável, é um dos melhores alimentos que podemos consumir.

Contudo, para obter maiores benefícios deste maravilhoso fruto, sempre mantenha a casca da maçã quando for consumi-la. 

Veja abaixo os benefícios de consumir a maçã com casca:


Bom para os ossos

A casca da maçã contém compostos benéficos para os ossos. Os flavonoides presentes na casca protegem as mulheres na pós-menopausa da osteoporose e aumentam a densidade óssea.

Grande quantidade de fibras


A maior parte da fibra da maçã reside na pele. Uma maçã com casca fornece 95 calorias e 4,4 gramas de fibra. Sem pele, uma maçã média tem 77 calorias e apenas 2,1 gramas de fibra – menos da metade da quantidade com a pele.

Ajuda a emagrecer

A casca da maçã contém um composto de redução de gordura. Um estudo de 2012 mostrou que o ácido ursólico (que se encontra nas cascas da maçã) pode aumentar a força muscular e ajuda a queimar calorias, auxiliando, assim, na perda de peso.

Protege seus pulmões

Comer maçãs com a casca pode melhorar a função pulmonar, graças a um poderoso composto chamado quercetina. Segundo estudos, a quercetina atua como um anti-histamínico e um anti-inflamatório, e pode ajudar a proteger contra doenças cardíacas e câncer.

Possui vitaminas essenciais

A casca da maçã contém vitaminas vitais para o organismo. A vitamina A, C e K são encontrados em grandes quantidades na casca da maçã, assim como minerais essenciais, incluindo cálcio, potássio e fósforo. Juntos, esses nutrientes proteger seus nervos, cérebro, pele, ossos e coração.

Previne o câncer

Você ainda pode não ter ouvido falar de triterpenóide, mas os pesquisadores sugerem que esse composto importante possui uma forte atividade anticâncer, especialmente na prevenção do câncer de mama, cólon e fígado.



Leia Mais »